MLST ergue acampamento à margem da AL-465

Margem da rodovia foi tomada pelos sem-terra do MLST (Foto: Severino Carvalho)
Margem da rodovia foi tomada pelos sem-terra do MLST (Foto: Severino Carvalho)

Trabalhadores rurais ligados ao Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST) ocuparam, na manhã desta segunda-feira, 69 hectares da Fazenda Arrepiado, zona rural de Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas. Os agricultores ergueram acampamento dentro do imóvel e realizaram um piquenique à margem da AL-465.

Os sem-terra decidiram ocupar a área para garantir a posse total da propriedade. Segundo Edmilson Alves da Silva, da coordenação estadual do MLST, a área ocupada já integrava o Assentamento Irmã Daniela (Fazenda Arrepiado), cujo decreto de desapropriação foi assinado em 2012.

Ele revela que a imissão de posse está prestes a ser oficializada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). O imbróglio foi criado, explica Edmilson, depois que um produtor rural apareceu na região se dizendo dono de 69 dos 309 hectares desapropriados da Fazenda Arrepiado para fins de reforma agrária.

Pela manhã, os sem-terra impediram o transporte de 500 estacas que seriam usadas para o cercamento da propriedade, a mando do suposto proprietário. “Ocupamos porque entendemos que essa gleba de terra faz parte do assentamento. Até que o Incra se posicione, vamos continuar dentro da propriedade”, enfatizou o coordenador estadual do MLST, Josival Oliveira.

Policiais militares do 6° Batalhão estiveram no local. Eles foram informados de que a rodovia seria bloqueada, o que acabou não acontecendo. “Não vamos fechar a pista. Como hoje é feriado, estamos fazendo esse piquenique aqui para as mulheres e as crianças, enquanto os homens levantam o acampamento”, explicou Edmilson. A Gazetawebmaragogi tentou manter contato telefônico com o Incra, mas não conseguiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *