Trabalhador rural é preso com CNH falsificada

Erinaldo
Edinaldo se diz arrependido de ter comprado habilitação (Foto / reprodução: Severino Carvalho)

O trabalhador rural Edinaldo Pedro da Silva, 43 anos, conhecido como “Danda”, foi preso e autuado em flagrante, no domingo (01), pelo crime de uso de documento falso, artigo 304 do Código Penal Brasileiro. Ele foi flagrado, durante uma blitz realizada pelo 6º Batalhão de Polícia Militar (6º BPM), em São Luís do Quitunde, portando uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) supostamente falsificada.

Durante a abordagem que ocorreu na AL-105, Edinaldo apresentou nervosismo. A moto em que viajava ficou apreendida porque estava com o licenciamento atrasado. Ao ser indagado pelos militares se era habilitado, ele disse que não. Mas, depois, apresentou a CNH.

Os policiais desconfiaram da atitude de Edinaldo e decidiram verificar o número do registro da CNH no sistema do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Eles detectaram que o registro não existia no cadastro do órgão. A carteira apresentada também estava plastificada, o que não é permitido.

Na delegacia, Edinaldo confessou que comprou a habilitação por R$ 2,5 mil, dividido em duas parcelas: uma de R$ 1.300 e outra de R$ 1.200. Esta foi paga no último sábado, um dia antes de ser preso, quando recebeu a CNH de um homem que, segundo ele, trabalharia no Detran de Maceió.

“Eu comprei porque tinha levado pau (reprovado) quatro vezes na prova, mas não sabia que era falsificada. Estou arrependido”, disse Edinaldo. O crime é inafiançável e Danda permanecia preso nesta segunda-feira (02).

O auto de prisão em flagrante foi lavrado pelo delegado de Porto Calvo, Rubens Cerqueira, o “Caximbal”, de plantão na 8ª Delegacia Regional de Polícia Civil, em Matriz do Camaragibe. O caso será remetido à delegacia de São Luís do Quitunde, que deve instaurar inquérito para apurar a autoria da falsificação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *