Sessão debate instalação da Estrada Parque em Milagres

Asfalto da AL-101 Norte foi removido para implantação da Estrada Parque, gerando transtornos (Foto: Carlos Rosa)
Asfalto da AL-101 Norte foi removido para implantação da Estrada Parque, gerando transtornos (Foto: Carlos Rosa)

Na sexta-feira (05), às 9 horas, a Câmara de Vereadores de São Miguel dos Milagres realiza uma audiência pública para debater o projeto de implantação da “Estrada Parque / Rota Ecológica” (AL-101 Norte), que corresponde a um trecho litorâneo de 23km entre os municípios de Passo do Camaragibe e Porto de Pedras. A obra tem gerado uma série de transtornos aos moradores de três cidades.

Empresários do setor hoteleiro temem que a obra, em ritmo lento, atravesse toda a alta estação turística que se avizinha e cobram medidas urgentes para mitigar os desarranjos. “O correto seria fazer a obra por etapas e não sair arrancando todo o asfalto como fizeram”, criticou o auxiliar de escritório Augusto Braga Costa, que mora no município de São Miguel dos Milagres, em entrevista ao jornal Gazeta de Alagoas.

“O que mais incomoda aqui é essa poeira que invade e toma conta da casa todinha. Pedimos para molhar o chão com água do caminhão-pipa, mas logo depois que o carro sai, volta tudo novamente”, lamentou o aposentado Cícero Antônio Mendes, morador da Rua Antônio Buarque Braga, em São Miguel dos Milagres.

Segundo a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), a construção da Estrada Parque foi iniciada em junho e ainda não há data definida para a sua conclusão. A obra promete impulsionar a atividade turística da Rota Ecológica, destino conhecido nacional e internacionalmente em decorrência da natureza exuberante deste pedaço preservado Litoral Norte de Alagoas e das charmosas pousadas ali instaladas.

Apesar dos benefícios apontados, os empresários do setor hoteleiro cobram um plano de metas e prazos. Eles temem que a obra transcorra vagarosamente e acabe gerando ainda mais transtornos à principal atividade econômica da região: o turismo. Usuários da AL-101 Norte reclamam ainda dos riscos de acidentes por causa da sinalização precária nos trechos onde a obra já começou.

“Quase sofro um acidente com minha moto quando estava vindo para São Miguel dos Milagres”, reclamou o estudante Rafael Almeida. Segundo o conselheiro da Associação Milagrense de Turismo Sustentável (Amitus), Tsachi Greenut, a audiência pública será realizada na próxima sexta-feira, a pedido da entidade. Na ocasião, técnicos da empresa contratada pelo governo do Estado e da Seinfra apresentarão o projeto à comunidade.

“Queremos conhecer melhor o projeto, saber dos prazos, das medidas de segurança que serão adotadas até porque estamos com a alta estação turística prestes a começar”, lembrou Tsachi, que na quinta-feira da semana passada acompanhou o secretário de Estado da Infraestrutura, Marcos Vital, num sobrevoo pela região.

Segundo a Seinfra, a Rota Ecológica terá início na foz do Rio Camaragibe, no distrito da Barra de Camaragibe, passando por sítios de coqueiros no município de São Miguel dos Milagres e indo até a foz do Rio Manguaba, em Porto de Pedras. A ideia é proporcionar a infraestrutura necessária para o acesso eficiente e seguro, mas que se harmonize com o meio urbano em que deve ser inserido.

O projeto está orçado em R$ 126 milhões, recursos do governo estadual, por meio de convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bid). A obra prevê, além da rodovia, a instalação de rede abastecimento d’água e esgotamento sanitário nos municípios beneficiados. A Seinfra informou, ainda, que a obra já está sinalizada, porém, foi solicitado um reforço com a colocação de cavaletes e acréscimo de placas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *