Professores só iniciam ano letivo com aumento salarial

Sindicato
Professores foram à sede do Ministério Público pedir apoio (Foto: Carlos Rosa / GA)

A coordenadora do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maragogi (Sima), Zita Verçosa, afirmou que os professores da rede municipal de ensino só iniciarão o ano letivo de 2016, após o carnaval, quando a prefeitura enviar à Câmara de Vereadores o projeto de lei que reajusta o piso da categoria em 11.36%.

Vestidos de preto, mais de 60 servidores da Educação de Maragogi estiveram, na quarta-feira (3), na sede da Promotoria de Justiça para pedir o apoio do Ministério Público Estadual (MPE). Eles cobram da prefeitura o pagamento das diferenças salariais dos últimos três anos, férias, além do reajuste.

Os servidores foram recebidos pela promotora de Justiça, Francisca Paula de Jesus. “Só voltaremos (à sala de aula) se o gestor cumprir todas as reivindicações: pagamento das diferenças salariais de 2013, 2014 e 2015; um sexto de férias de 2015 aos professores e um terço de férias de janeiro para todos os servidores, além dos salários de janeiro, que se vencem na sexta-feira (5)”, disse Zita.

Ela revelou que a Rede Municipal de Ensino de Maragogi está perdendo alunos para a São José da Coroa Grande (PE) em decorrência da precariedade estrutural das escolas do município alagoano.

“Tem de resgatar tudo isso, porque, a partir do próximo ano, a situação vai ficar ainda mais difícil. Se continuarmos a perder alunos, os recursos vão diminuir ainda mais”, alertou a sindicalista, cobrando ainda que o município abasteça com informações o portal da transparência para que o Sindicato possa acompanhar a aplicação dos recursos.

A promotora de Justiça sugeriu, inicialmente, que o Sindicato ingresse com uma ação de cobrança. Outra sugestão foi a elaboração de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), a exemplo do que foi firmado no ano passado e que fez com que o município pagasse todos os salários dos servidores que estavam atrasados. O cronograma estabelecido foi cumprido, segundo ela.

Na próxima quinta-feira, após o carnaval, o Sindicato vai entregar à promotora uma lista detalhada da pendências reclamadas e uma nova reunião será marcada para definir os rumos do movimento.

O prefeito de Maragogi, Henrique Peixoto (PSD), enfatizou que os salários foram colocados em dia e que está à disposição do Ministério Público para debater a situação e montar um cronograma de pagamento referente às diferenças salariais.

O gestor, entretanto, disse que não negocia com o Sindicato. De acordo com Peixoto, Zita Verçosa lidera um movimento político-partidário de oposição.

“Trata-se de um movimento de cunho político e eu estou concentrado apenas na gestão. Está cedo para discutir política. Encaro essa situação como ato de desespero e revanche só porque conseguimos colocar os salários em dia”, declarou o prefeito.

Sobre a proposta de reajuste salarial de 11.36%, Peixoto afirmou que esta é uma discussão nacional. “Se o governo federal nos oferecer condições de pagar o novo piso, será um prazer dá o aumento ao servidor”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *