Prefeitura de Porto Calvo quer transferir lixão para outra área

Lixão avança em direção ao acostamento de rodovia estadual (Fotos: Severino Carvalho)
Lixão avança em direção ao acostamento de rodovia estadual (Fotos: Severino Carvalho)

O secretário municipal de Infraestrutura de Porto Calvo, Alexandre Scala, revelou, em entrevista ao GazetaWebMaragogi.com, na manhã desta sexta-feira (20), que vai relocar o lixão localizado à margem da AL-465, naquele município. Segundo ele, duas áreas já estão sendo avaliadas para receber o depósito controlado de resíduos.

O lixão de Porto Calvo encontra-se saturado. A montanha de material descartado cresce em direção ao acostamento da rodovia estadual.

“É um desejo nosso fazer essa relocação. A imagem desse lixão para quem passa pela estrada é algo muito chato, um volume muito grande de material”, admitiu o secretário.

Para compactar o lixo que se espalha pelos quatros cantos, Scala acionou um trator de esteira. A montanha de resíduos impede, desde a segunda-feira passada, a entrada das caçambas ao interior do lixão. Os veículos, então, despejaram o material no acesso principal, próximo das margens da rodovia.

“A máquina está fazendo, desde a quinta-feira (19), a compactação e o deslocamento do lixo. Também está melhorando os acessos para acondicionar melhor os resíduos”, informou o secretário.

Há anos que o lixão de Porto Calvo – um dos maiores da região Norte de Alagoas – encontra-se saturado. Por diversas vezes, a montanha de lixo incendiou, em decorrência da combustão espontânea dos resíduos sólidos. O fogo já destruiu parte de um remanescente de mata atlântica, onde o lixão foi instalado. A fumaça representa perigo à segurança e à saúde dos que trafegam de carro pelo trecho.

Da rodovia, é possível avistar o lixão de Porto Calvo, que afeta remanescente de mata
Da rodovia, é possível avistar o lixão de Porto Calvo, que afeta remanescente de mata atlântica

A solução definitiva para o lixão de Porto Calvo é a instalação de um aterro sanitário, como estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos. A ideia, segundo o secretário, é viabilizar o equipamento por meio do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento da Região Norte de Alagoas (Conorte/AL). Mas, a entidade enfrenta dificuldades financeiras e o desinteresse de grande parte dos gestores.

O Conorte surgiu em 2004 como consórcio para desenvolver ações de segurança alimentar. Em 2011, transformou-se em consórcio público ampliando sua atuação para as áreas da Saúde e Saneamento Básico.

Dentre os projetos, o Consórcio tenta construir o aterro sanitário de uso coletivo, envolvendo 12 municípios da região Norte do Estado, desenvolvido por meio de Parceria Público-Privada (PPP).

Fora de controle, os lixões se constituem num dos principais problemas ambientais e sociais do Litoral Norte de Alagoas. Enquanto a solução definitiva não chega, Scala pretende fomentar a criação de uma associação de catadores para otimizar e ordenar o processo de reciclagem já existente no lixão de Porto Calvo.

One thought on “Prefeitura de Porto Calvo quer transferir lixão para outra área

  1. Investimento em Educação Ambiental, tem retorno para a cidade e a coletividade. Empresas de Consultoria em Meio Ambiente, faz um trabalho de casa em casa, para orientar as donas de casa que a destinação do lixo domestico tem que ser separado em casa e a coleta deverá ser seletiva, para cada tipo de lixo, um caminhão diferenciado, do contrario nunca existirá coleta seletiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *