Por salários, sindicatos tentam acordo com a Usina Santa Maria

Trabalhadores ameaçam interditar novamente a AL-105, como fizeram ontem (Foto: Severino Carvalho)
Trabalhadores ameaçam interditar novamente a AL-105, como fizeram ontem (Foto: Severino Carvalho)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Açúcar do Estado de Alagoas (STIA), Jackson de Lima Neto, e outras lideranças sindicais estão em Porto Calvo, na região Norte do Estado, onde tentam fechar um acordo com a direção da Usina Santa Maria para a quitação de salários atrasados. Cerca de 750 trabalhadores que atuam nas áreas industrial e rural estão sem receber há pelo menos dois meses e ainda não colocaram a mão no 13º. Eles bloquearam ontem a AL-105 e ameaçam interditar novamente, hoje, a rodovia estadual em forma de protesto.

A indústria, sediada em Porto Calvo, enfrenta grave crise financeira e, por isso, ainda não iniciou a moagem prevista para começar em setembro do ano passado. Um acordo para quitar dívidas trabalhistas da ordem de R$ 700 mil chegou a ser firmado na Justiça do Trabalho, em novembro de 2014, dando esperança para que, enfim, a safra começasse a ser processada a partir de 15 de janeiro próximo.

Entretanto, um desentendimento entre os sócios da usina pode fazer com que a unidade encerre definitivamente suas atividades. “Eles pediram até a próxima sexta-feira para resolver esse impasse e retomar os pagamentos dos salários. Se essa situação não for resolvida, ainda esta semana, dificilmente a usina volta a moer”, teme o presidente.

Ontem, os trabalhadores interditaram a AL-105, no trecho que liga Porto Calvo aos municípios de Jundiá e Jacuípe. Os manifestantes ameaçam bloquear, ainda hoje, o trecho mais movimentado da rodovia estadual, que leva aos municípios de Maragogi e Japaratinga. Por enquanto, a pista encontra-se liberada e o tráfego flui normalmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *