Pescadores da Barra cobram sinalização marítima

Luzes de alerta das torres de telefonia móvel estão queimadas na Barra de Santo Antônio (Foto: Severino Carvalho)
Luzes de alerta das torres de telefonia móvel estão queimadas na Barra de Santo Antônio (Foto: Severino Carvalho)

Pescadores da Barra de Santo Antônio, no Litoral Norte de Alagoas, estão a ver navios. Sem a sinalização de navegação em terra ou mar, eles perderam o balizamento e o prumo para retornar sãos à costa. A ausência de pontos de referência tem causado acidentes e prejuízos à categoria, como revelou reportagem da Gazeta de Alagoas, esta semana.

“Na entrada da barra tem muitas pedras e nenhuma sinalização. Nos últimos dias, quatro pescadores bateram por lá. Eu mesmo já tombei ali com a minha jangada. O acidente aconteceu às 5 horas da tarde e só consegui chegar à praia às 10 da noite, juntamente com outros dois amigos”, contou o pescador Alberdan Gomes da Silva, morador da Ilha da Croa.

O presidente da Associação dos Jangadeiros Artesanais do Município da Barra de Santo Antônio (AJAMBASA), Ernando Pinto, explica que as luzes de segurança existentes nas duas torres de telefonia móvel da Barra de Santo Antônio serviam de referência aos pescadores em alto-mar, guiando-os até a costa, mas lamenta que estejam apagadas há mais de um ano. Não há farol de sinalização marítima na região.

“As torres de celular eram as únicas referências que tínhamos em terra”, observou Ernando, que apresentou ofício cobrando providências durante reunião ordinária do Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, na semana passada.  De acordo com ele, todos os pescadores sofrem com a falta de sinalização marítima, sobretudo os artesanais, que não dispõem de aparelhos modernos de orientação, como GPS.

Ernando sugere a instalação de boias presas a poitas em locais considerados críticos para a navegação, a exemplo da Baixa Grande e a entrada para o canal que dá acesso à Ilha da Croa. “A entrada da barra não é uma linha reta, ela faz um ‘S’, o que dificulta a navegabilidade e causa acidentes em decorrência do choque com o banco arrecifes de coral”, explicou Ernando.

O chefe da APA Costa dos Corais, Paulo Roberto Corrêa, disse que vai se reunir com representantes da Capitania dos Portos de Alagoas para tentar viabilizar a sinalização. Ele reconhece, entretanto, que a instalação dos equipamentos não será tarefa fácil, pois envolve custos. Sobre a substituição das luzes de alerta das torres de telefonia móvel, Corrêa alegou que a resolução depende das empresas. As luzes apagadas representam risco de acidentes envolvendo aeronaves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *