Iphan embarga construção de anel viário em Porto Calvo

Arqueólogos do Iphan avaliam construção que foi destruída (Foto: Carlos Rosa / GA)
Arqueólogos do Iphan avaliam edificação que foi destruída (Foto: Carlos Rosa / GA)

A Superintendência Regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphah) embargou, nesta quarta-feira (2), a instalação do anel viário em Porto Calvo, na região Norte do Estado, a 100 km de Maceió. Durante a obra, foi encontrada e destruída, na segunda-feira (29), uma construção antiga em forma de arcos e de interesse arqueológico.

De acordo com a arqueóloga Rute Barbosa, que inspecionou a área nesta manhã, a obra estava sendo executada pela prefeitura sem a devida licença ambiental, em que deveria constar a anuência do Iphan, e por isso sofreu o embargo. A prefeitura foi notificada e pode ser multada.

Rute Barbosa produzirá um relatório acerca da situação que será remetido à Polícia Federal (PF). A Delegacia de Crimes Contra o Meio Ambiente e do Patrimônio Histórico da PF abrirá inquérito para tentar identificar e punir os responsáveis pela destruição da edificação dentro do sítio arqueológico.

Os arcos foram destruídos por populares que buscavam botijas: tesouros enterrados por antigos moradores. “Infelizmente a construção foi completamente destruída, por isso não temos como avaliar do que se tratava”, lamentou a arqueóloga.

Ela lembrou que apenas a Igreja de Nossa Senhora da Apresentação (1610), no Centro da cidade, e o entorno dela são tombados pelo Iphan.

Entretanto, nos arredores da cidade, há diversos sítios arqueológicos já identificados e que precisam ser preservados. “Na verdade, toda a cidade de Porto Calvo é um grande sítio arqueológico”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *