Famílias sem-terra deixam fazenda pacificamente

Antônio Soares (E)  entende que famílias devem permanecer à margem de estrada (Foto: Severino Carvalho / Arquivo)
Antônio Soares (E) entende que famílias devem permanecer à margem de estrada (Foto: Severino Carvalho / Arquivo)

Atualizado às 16h36

Policiais do 6º Batalhão de Polícia Militar (6º BPM) e do Centro de Gerenciamento de Crises, Direitos Humanos e Polícia Comunitária (CGCDHPC) fizeram cumprir, nesta segunda-feira (17), o mandado de reintegração de posse da Fazenda Castelo, na zona rural de São Miguel dos Milagres, Litoral Norte de Alagoas. No imóvel, 48 famílias sem-terra ligadas ao Movimento Via do Trabalho (MVT) estavam acampadas havia seis meses.

Elas reivindicam a desapropriação da fazenda para fins de reforma agrária. Em outubro, o coordenador regional do MVT, Antônio Soares, recebeu da Vara Agrária citação do mandado de reintegração de posse, que estabelecia prazo para saída dos agricultores. As famílias deixaram o acampamento, mas permaneceram instaladas à margem de uma estrada vicinal.

Para o coordenador regional do MVT, as famílias deveriam permanecer no local uma vez que a margem da via estadual integra a faixa de domínio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Os oficiais do CGCDHPC da PM negociaram a saída pacífica dos sem-terra.  A tropa do 6º BPM, entretanto, esteve a postos para agir se necessário.

A ocupação do imóvel tem um histórico de conflitos entre os integrantes do movimento social e funcionários da fazenda. Por volta do meio-dia, os acampados acataram a decisão da Vara Agrária e cumpriram a ordem judicial para deixar a propriedade pacificamente. Segundo o tenente Geison França, do CGCDHPC, as famílias encontraram refúgio no Assentamento Jubileu, em São Miguel dos Milagres.

Além do 6°BPM, deram apoio à ação o Batalhão de Operações Especiais (BOPE), o Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente e as secretarias municipais de Infraestrutura e Assistência Social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *