MVT denuncia clima de tensão em acampamento

 

Antônio Gomes (E) cobra providências ao Incra e ao Centro de Gerenciamento de Crises da PM (Foto: Severino Carvalho)
Antônio Gomes (E) cobra providências ao Incra e ao Centro de Gerenciamento de Crises da PM (Foto: Severino Carvalho)

O coordenador regional do Movimento Via do Trabalho (MVT), Antônio José Gomes Soares, denunciou, esta manhã, em entrevista à Gazetawebmaragogi, que o clima no acampamento, montado dentro da Fazenda Castelo, em São Miguel dos Milagres, é de tensão. Segundo ele, dois homens armados estiveram no local intimidando as cerca de 60 famílias que ocupam as terras desde o último domingo.

“Eles estiveram na fazenda ontem (terça-feira). Tiraram foto, mostraram as armas e disseram pra gente sair. Nós não vamos abandonar a área, vamos permanecer”, afirmou o coordenador do MVT, temendo um confronto.

Antônio Gomes cobra providências à Ouvidoria do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e ao Centro de Gerenciamento de Crises, Direitos Humanos e Polícia Comunitária (CGCDHPC) da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL) no sentido de arrefecer os ânimos no local e evitar um derramamento de sangue.

O coordenador recomendou às lideranças do acampamento a procurem a delegacia de Polícia Civil de São Miguel dos Milagres para prestar queixa do ocorrido. Antônio Gomes recordou que a Fazenda Castelo já foi ocupada pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP) e Comissão Pastoral da Terra (CPT) e que os sem-terra desses movimentos sociais entraram em conflito com os seguranças da propriedade.

“Queimaram os barracos da LCP”, recordou. A Gazetawebmaragogi não conseguiu estabelecer contato com o proprietário da Fazenda Castelo. Esse foi o segundo imóvel ocupado pelo MVT este mês em São Miguel dos Milagres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *