Japaratinga exonera 170 servidores contratados

Exonerações atingiram todas as secretarias de Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas (Foto: Severino Carvalho)
Exonerações atingiram todas as secretarias de Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas (Foto: Severino Carvalho)

Por meio de decreto assinado na sexta-feira (31), o prefeito de Japaratinga, Newberto Neves (PRP), exonerou 170 servidores contratados que ocupavam vagas no serviço público municipal, em todas as secretarias. A exemplo de Maragogi, cidade vizinha do Litoral Norte de Alagoas, a administração de Japaratinga também adotou a medida alegando queda nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

“Todo esse ato tem um único objetivo: gerar economia diante da crise que atinge os municípios brasileiros. Pela primeira vez, em 22 meses de administração, não consegui pagar, no dia 30 de outubro, a folha dos servidores efetivos o que só faremos no próximo dia 10 deste mês”, revelou o prefeito de Japaratinga.

Ele informou que as exonerações atingiram todas as áreas do serviço público municipal; só não houve cortes, segundo o prefeito, no Programa de Saúde da Família (PSF) e de alguns professores para não prejudicar áreas consideradas essenciais.

O gestor anunciou que fará concurso público, até março de 2015, para preencher parte das vagas deixadas em função das exonerações e que precisam ser preenchidas para não afetar a administração do município. “Não tenho o quantitativo ainda das vagas que serão criadas. Pedi aos secretários uma relação para avaliarmos as necessidades”, acrescentou.

A prefeitura de Japaratinga concluiu, na semana passada, o recadastramento de todo o pessoal efetivo. Segundo Newberto Neves, o objetivo foi identificar servidores que estavam afastados do trabalho ou deslocados de função para que retornem aos seus postos, minimizando os efeitos das exonerações sobre o serviço público.

Ainda de acordo com ele, pelo menos 60 servidores estavam afastados do serviço por motivos diversos. “Eles serão convocados a assumir seus postos e os que alegarem problemas de saúde passarão por avaliação de uma junta médica, que já foi convocada”, afirmou Neves.

Na sexta-feira passada, o prefeito de Maragogi, Henrique Peixoto (PSD), exonerou todos os ocupantes de cargos comissionados e contratados da administração municipal. De acordo com ele, a medida foi tomada em virtude da queda dos repasses do FPM, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb) e do Imposto de Circulação de Mercadoria e de Serviços (ICMS). O gestor, entretanto, não informou a quantidade de pessoas exoneradas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *