Ex-namorada de emiradense nega denúncias

Patrícia diz que só teve despesas com Mohammad e exibe lista de presentes do Chá de Panela (Fotos: Severino Carvalho)
Patrícia diz que só teve despesas com Mohammad e exibe lista de presentes do Chá de Panela (Fotos: Severino Carvalho)

Acusada pelo emiradense Mohammad Raza, 34 anos, de tê-lo enganado com uma falsa promessa de emprego e o abandonado em Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas, a ex-namorada dele, Patrícia Maria Rodrigues da Silva, 53, negou todas as denúncias contra ela. A mulher, que se apresentou como psicóloga e pedagoga, afirmou que a história contada pelo ex-companheiro à Polícia Civil alagoana é “falaciosa”. Ela esteve na tarde desta quarta-feira (19) na delegacia de Maragogi, onde prestou esclarecimentos.

“O relacionamento ficou conturbado após a pressão em querer que eu aderisse à religião dele, o muçulmanismo. Começaram a existir várias discussões. Ele colocou a condição de só casar comigo se eu me convertesse. Eu sou católica de nascença”, argumentou Patrícia.

Ela contou que o relacionamento amoroso estava abalado porque Mohammad é extremamente machista, autoritário e só se expressa aos gritos, chegando a agredi-la em certas ocasiões. Segundo Patrícia, eles estavam afastados há cerca de 15 dias, mesmo com um “Chá de Panela” marcado para acontecer em dezembro, que selaria a união estável do casal.

A mulher declarou que foi surpreendida na terça-feira (18) quando estava na Polícia Federal, no Recife, tratando do pedido de união estável, oportunidade em que recebeu um telefonema de uma prima, que mora em Maragogi, dizendo que o namorado a denunciou à Polícia Civil de Alagoas. Revoltada, ela agora só deseja uma coisa: que Mohammad volte a Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

“Não quero mais esse relacionamento, vejo que não dá. Ele é uma pessoa extremamente radical. Não vou ceder às pressões. Estou disposta a colaborar com a Embaixada para que ele retorne à terra dele”, afirmou, denunciando que foi coagida pelo emiradense que a todo instante lhe pedia dinheiro. Disse que durante o tempo que passou ao lado do então namorado só teve despesas porque ele é muito exigente; apresentou à reportagem diversas notas fiscais de produtos adquiridos como chuveiro elétrico. “Ele só toma banho quente”.

Delegado Thiago Prado conversa com o casal na delegacia de Maragogi
Delegado Thiago Prado conversa com o casal na delegacia de Maragogi

Patrícia negou que sofra de surtos psicóticos como afirmou o ex-namorado à Polícia Civil. Eles se conheceram há cerca de três meses, através de uma rede social por meio de uma amiga em comum.

“Ele veio ao Brasil por livre espontânea vontade”, enfatizou Patrícia, garantindo que possui uma pousada em Japaratinga, mas que ainda não começou a funcionar porque faltam alguns ajustes. “Moro no Recife, mas me divido entre a capital e Japaratinga. Se a pousada não der certo, vendo e vou embora de vez”.

O delegado de Maragogi, Thiago Prado, disse que não enxerga a ocorrência de qualquer crime na situação, apenas um desentendimento de casal, por isso, ainda não instaurou qualquer procedimento. Ele manteve contato com a Embaixada dos Emirados Árabes Unidos, em Brasília (DF), que ficou de avaliar o pedido de pagamento da passagem área para que Mohammad retorne a Dubai.

Enquanto isso, o emiradense permanecerá hospedado em uma pousada de Maragogi, providenciada pela Secretaria Municipal de Assistência Social durante os próximos oito dias. As alimentações estão inclusas.

One thought on “Ex-namorada de emiradense nega denúncias

  1. Bom dia
    Li a matéria sobre o Emiradense, agradeço a oportunidade de poder desmascara- lo, apresentando aos meus familiares, amigos e vizinho, a toda população de Barra Grande, Maragogi, Japaratinga, Porto Calvo, Barra de Santo Antônio e Maceió,de apresentar a cabal veradacidade dos fatos, desse conturbado
    relacionamento, cujo meu direito a liberdade individual e de expressão foi totalmente cerceado por esse cidadão emiradense.
    Felizmente,o citado retirou sua máscara em tempo hábil.
    Se toda mulher puder conviver com seu namorado antes de casar, eu recomendo que o faça,pois durante a convivência será possível vislumbrar e prever o nível qualitativo dessa provável ou não união.
    Por gentileza me enviem uma cópia do meu direito de resposta.
    Obrigada.
    Cordialmente.
    Patricia Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *