Delegado indicia mulher por exploração sexual

Delegado concluiu inquérito e o remeteu à Justiça (Foto: Severino Carvalho)
Delegado Thiago Prado concluiu inquérito e o remeteu à Justiça (Foto: Severino Carvalho)

Em entrevista ao jornal Gazeta de Alagoas, edição desta quarta-feira, o delegado de Polícia Civil, Thiago Prado, revelou ter indiciado uma moradora de Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas, pelo crime de exploração sexual de vulneráveis.

As vítimas eram três adolescentes: uma de 14 anos e duas de 13 anos de idade. Segundo Prado, elas eram incentivadas a consumir bebidas alcoólicas antes de serem abusadas pelos frequentadores da casa da mulher, que está foragida.

Segundo o delegado, a denúncia chegou ao conhecimento da Polícia Civil de Japaratinga através do Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente, há cerca de 30 dias, quando instaurou o inquérito, já concluído e remetido à Justiça. Prado preferiu preservar o nome da acusada.

“O caso é de elevada gravidade, pois envolve exploração sexual contra adolescentes. A sociedade precisa ficar atenta e denunciar para que novos casos não voltem a acontecer”, afirmou o delegado, que deve representar pelo pedido de prisão preventiva da acusada. De acordo com ele, os abusos aconteceram entre os meses de dezembro de 2013 e janeiro deste ano.

“As adolescentes eram levadas para a casa da mulher, em Japaratinga, onde ingeriam bebidas alcoólicas e mantinham relações sexuais com adultos indicados pela aliciadora”, detalhou Prado. Ele informou que as vítimas recebem, desde o início das investigações, acompanhamento e apoio ofertados pelo Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente de Japaratinga. Acrescentou, ainda, que, se condenada, a acusada poderá cumprir pena de quatro a dez anos de reclusão.

“O crime de exploração sexual de vulneráveis (artigo 218-B do Código Penal) é inafiançável”, lembrou o delegado.

Ouvidoria 

Denúncias acerca de crimes praticados contra crianças e adolescentes podem ser relatadas através do Disque 100, serviço de utilidade pública da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), vinculado à Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos.

O Disque Direitos Humanos – Disque 100 – funciona diariamente, 24 horas, incluindo sábados, domingos e feriados. As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem direta e gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel, bastando discar 100. As denúncias podem ser anônimas, e o sigilo das informações é garantido, quando solicitado pelo demandante.

3 thoughts on “Delegado indicia mulher por exploração sexual

  1. Quem eram os homens, que frequentavam a casa da aliciadora. Apolicia tem que divulgar, ou será uma caso parecido com o de Porto Calvo em épocAS passadas, que encolveu pessoas poderosas e ficou por isto mesmo, não deu em nada. Eles continuam praticando.

    1. sABE CURIOSO, nem precisa saber os nomes, porque lá é um cabaré, como tantos outros nesse BRASIL, já em Porto Calvo, foi algo mais reservado. Só tinham ricões, Japaratinga não, são apenas raparigueiros, querendo apenas dá uma… shuashuashuashua

  2. tem pouco puteiro em japaratinga, infelizmente, as donas dos outros, com inveja, denunciaram a minha amiga, , em maragogi, o que mais tem é barzinho lotado de meninas menores de idade, enchendo a cara, e em são bento também!! Basta só dá uma olhada lá pras 11 horas, por ali, perto da ponte do Hotel salinas, e vai ver quantas menores estão enchendo a cara EM BAR BEM CONHECIDO AQUI EM MARAGOGI… #FICAADICA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *