Criança de 9 anos denuncia padrasto por agressões

Criança chegou ao 6° BPM cansada, após percorrer 5 km de bicicleta (Foto: Arquivo GA)
Criança chegou ao 6° BPM cansada, após percorrer 5 km de bicicleta (Foto: Arquivo GA)

Um menino de nove anos de idade percorreu cinco quilômetros de bicicleta para pedir ajuda no 6º Batalhão de Polícia Militar (6º BPM), sediado às margens da AL-101 Norte, em Maragogi, na tarde de sexta-feira (07). Com escoriações e hematomas nas costas, a criança denunciou o padrasto Cícero José de Gusmão, 25 anos, acusado de agredi-la sistematicamente com surras.

“O menino saiu de Barra Grande numa bicicleta e chegou aqui assustado, cansado. Disse que havia levado uma surra porque foi à praia. Falou que essa não foi a primeira vez que apanhou do padrasto. Apesar de as agressões terem ocorrido no dia anterior (quinta-feira – 06), ainda apresentava hematomas nas costas”, revelou o subtenente Fireman.

O policial acionou o Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente de Maragogi, enquanto outra guarnição se deslocou ao distrito de Barra Grande, onde o acusado mora. Ele foi preso e encaminhado à 8ª Delegacia Regional de Polícia Civil (8ª DRPC), em Matriz do Camaragibe.

O delegado de Maragogi, Thiago Prado, de plantão na 8ª DRPC, elaborou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por crime de maus tratos em desfavor de Cícero Gusmão. A criança foi encaminhada ao Hospital Municipal de Matriz. O médico que a atendeu constatou as agressões, informou Prado.

“Como já havia passado o prazo do flagrante, o acusado teve de ser liberado, mas vai responder em sede de TCO pelo crime de maus tratos. Ele alegou que o menino era desobediente, como se isso fosse justificativa para as agressões, mas verificamos que o acusado é usuário de drogas e fica descontrolado”, revelou o delegado.

Ele informou, ainda, que a mãe do garoto é cadeirante e, por isso, decidiu permanecer em Maragogi, não comparecendo à delegacia regional, que fica em Matriz. O menino ficou sob a guarda do Conselho Tutelar que vai encaminhar o caso à Promotoria de Justiça da Comarca de Maragogi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *