Audiência debate saúde pública em Maragogi

xxxxxx
Secretária municipal de Saúde, Rosa Rios, fala durante audiência pública, observada pelos demais componentes da mesa (Foto: Severino Carvalho)

O Ministério Público do Estado (MPE) de Alagoas realizou, nesta quinta-feira (04), no Space Fest, em Maragogi, audiência pública com objetivo de promover um diagnóstico do atendimento à saúde no município, bem como discutir e cobrar soluções para os problemas apontados pela sociedade civil. A solenidade foi aberta às 10h30 e seguiu durante a tarde.

De acordo com a coordenadora do Grupo de Trabalho (GT) de Defesa da Saúde Pública do MPE, promotora Micheline Tenório, ao fim da audiência serão propostos Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) com recomendações que visam o melhoramento do acesso aos serviços de saúde pública em Maragogi. Ações exitosas também serão expostas e debatidas.

“As audiências estão sendo realizadas seguindo o planejamento estratégico do Ministério Público em dez municípios que representam as regiões de saúde no Estado. Maragogi foi escolhida para sediar a reunião pelos seus indicadores e pela sua representatividade: um município que possui uma população flutuante muito grande em função do fluxo turístico”, ressaltou a promotora de Justiça.

Assuntos como a abertura e funcionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Maragogi fizeram parte na pauta da audiência pública. A ordem de serviço para a instalação foi assinada em agosto de 2010, pelo então secretário de Estado da Saúde, Herbert Motta, mas a unidade permanece fechada.

Enquanto a instalação da UPA de Maragogi já dura quatro anos, os moradores e visitantes do segundo maior polo hoteleiro de Alagoas e um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil sofrem com uma acanhada Unidade Mista de Saúde, desprovida até de equipamentos de radiologia.

Outro assunto debatido foi a deficiência no atendimento às famílias que residem nos 18 assentamentos da reforma agrária existentes em Maragogi. Segundo representantes dessas comunidades, os agentes de saúde dificilmente visitam as áreas rurais.

A mesa foi presidida pelo promotor de Justiça Saulo Ventura e pela analista do MPE, Marina Araújo. Participaram da audiência pública o prefeito Henrique Peixoto (PSD); a secretária municipal de Saúde, Rosana Rios; além de representantes do Conselho Municipal de Saúde, da Câmara de Vereadores, dentre outras autoridades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *