Estrangeiro abandonado em AL é paquistanês, diz Embaixada

Mohammad Raza deseja voltar ao Paquistão (Foto: Severino Carvalho)
Mohammad Raza deseja voltar ao Paquistão (Foto: Severino Carvalho)

O estrangeiro Mohammad Raza, 34 anos, que procurou ajuda na delegacia de Japaratinga, esta semana, não é emiradense, mas, sim, paquistanês. Foi o que revelou reportagem da Gazeta de Alagoas, edição de sexta-feira (21). A Embaixada paquistanesa em Brasília (DF) está cuidando do processo de devolução de Mohammad ao país de origem dele: o Paquistão, no Sul da Ásia.

Segundo informou à Gazeta, por telefone, a secretária da Embaixada, Camila Schaly, as evidências indicam que o estrangeiro é, de fato, paquistanês e não emiradense, como informou inicialmente a Polícia Civil alagoana.

Segundo ela, Mohammad enviou um e-mail à Embaixada do Paquistão com um pedido de ajuda para voltar ao país de origem. Em entrevista à Gazeta, Camila informou que vai solicitar à delegacia de Polícia Civil de Maragogi a cópia de todos os documentos do asiático para, então, iniciar o processo para levá-lo de volta ao Paquistão.

“Não é tão fácil assim, mas vamos tentar custear a passagem. Para isso, é necessário o envio de toda a documentação, como cópias do passaporte, do visto, da identidade, de tudo o que ele tiver”, declarou Camila.

Mohammad contou à polícia que chegou ao Brasil no dia 8 de outubro atraído por uma falsa promessa de emprego numa pousada de Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas, feita por Patrícia Maria Rodrigues da Silva, 53, que mora no Recife (PE). Os dois se envolveram amorosamente após se conhecerem, há cerca de três meses, pela internet, por meio de uma rede social.

Abandonado em Japaratinga a biscoitos e água pela ex-namorada, ele pediu ajuda na delegacia de Polícia Civil. Segundo Camila, a Embaixada paquistanesa também deseja saber detalhes sobre a suposta promessa de emprego feita a Mohammad que, de acordo com as informações que lhe chegaram através de e-mail, morava e trabalhava em Abu Dabi, capital dos Emirados Árabes Unidos.

“Pelo o que relatou através do e-mail enviado à Embaixada, ele perdeu dinheiro, o visto em Abu Dabi e o emprego que tinha por lá por uma suposta falsa promessa de trabalho no Brasil, onde ingressou apenas com o visto de turista. Ele relatou deseja voltar ao Paquistão para cuidar dos pais, que estariam muito doentes”, contou Camila.

O delegado de Polícia Civil de Maragogi e Japaratinga, Thiago Prado, fez, na última quarta-feira, uma acareação entre Patrícia e Mohammad. Ela negou tê-lo enganado. Disse que houve apenas um desentendimento entre o casal, o que provocou a separação. Ela planejava, inclusive, formalizar a união estável, mas desistiu depois que o paquistanês procurou a polícia para denunciá-la.

Prado conseguiu, através da Secretaria Municipal de Assistência de Maragogi,  alojamento e alimentação por uma semana para Mohammad, até que a Embaixada consiga mandá-lo de volta ao país de origem dele.

One thought on “Estrangeiro abandonado em AL é paquistanês, diz Embaixada

  1. Caso complicado. Recentemente, gastei horas via facebook , demovendo um amigo paquistanês de vir ao Brasil com visto de turista para viver uma história de amor com uma gaúcha ….e ainda bem que a Embaixada brasileira em Karachi negou o visto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *