Festa de Santo Antônio reúne fiéis em Maragogi

Padroeiro de Maragogi, Santo Antônio tem muitos devotos na região (Foto: Erick Balbino)
Padroeiro de Maragogi, Santo Antônio tem muitos devotos na região (Foto: Erick Balbino)

O mês de junho já começou com comemorações, pelo menos para a cidade de Maragogi, no litoral norte de Alagoas. Santo Antônio, o primeiro a ser homenageado no mês, recebe todas as honras durante 13 dias de festa. Mas não poderia ser diferente, já que este é considerado o padroeiro local.

A tradicional Festa de Santo Antônio de Pádua, uma parceria da Paróquia com a Prefeitura Municipal, ilumina a praça principal da cidade e reúne jovens e adultos numa expressão de fé.

A aposentada Tercy Mendes de Vasconcelos, de 75 anos, tem um amor especial a Santo Antônio de Pádua e guarda uma imagem dele num quarto trancado de chave. Ela acredita que foi um presente divino e que deve ser cuidado com todo amor e carinho.

“Meu marido foi Prefeito de Maragogi há muitos anos e durante a organização de uma das Festas em homenagem a Santo Antônio, fomos a Recife para comprar

Dona Tercy achou imagem em quarto abandonado da Paróquia (Foto: Erick Balbino)
Dona Tercy achou imagem em quarto abandonado da Paróquia (Foto: Erick Balbino)

os enfeites da cidade, e pedi que duas pessoas fizessem uma faxina em um quarto abandonado no fundo da Paróquia para retirar um entulho acumulado durante anos. Ao voltar da viagem, as diaristas me receberam informando que haviam encontrado a cabeça de uma estatueta, que logo reconheci ser de Santo Antônio. Guardei o objeto comigo durante um ano inteiro, até que pedi que fizessem a faxina em outro cômodo da igreja que também estava abandonado. Encontraram o resto do corpo de Santo Antônio enrolado em algumas folhas de jornal”.

TRADIÇÕES

Uma característica da Festa de Maragogi é a ostentação da bandeira de Santo Antônio na casa de uma das famílias frequentadoras da Paróquia. Os devotos inscrevem suas residências e todo ano, no dia 13 de junho, a igreja faz um sorteio para saber quem terá a honra de colocar a bandeira como ornamentação a frente de casa.

A bandeira permanecerá na Paróquia até o dia 13 (Foto: Erick Balbino)
A bandeira permanecerá na Paróquia até o dia 13 (Foto: Erick Balbino)

“A família é considerada a Igreja Doméstica. A bandeira tem o intuito de catequizar essa família e aproximá-la cada vez mais das suas crenças”, explicou o padre Alex, que está há um ano a frente da Paróquia de Santo Antônio.

Outra tradição peculiar da Festa é a distribuição de pães para os fiéis no final da Missa de Abertura, no dia 1º. A sacristã da Paróquia, Maria de Fátima da Conceição, devota de Santo Antônio, acredita que a benção dos pães aproxima os fieis do Cristianismo. “Santo Antônio de Pádua é considerado o protetor dos pobres, a benção e posterior distribuição dos pães é uma forma de incentivar a caridade através de um alimento tão barato, mas que faz falta a tanta gente”, explicou.

CASAMENTEIRO

Além de santo, Antônio ainda é considerado casamenteiro. Portanto, se você está a procura de um pretendente, deveria prestar atenção em algumas simpatias famosas para incentivar a busca, como colocar a imagem do santo em baixo da cama durante 3 dias ou colocar duas agulhas dentro de uma bacia com água e açúcar. Reza a lenda que se as agulhas estiverem juntas no dia seguinte, o casamento está próximo.

A fama de casamenteiro surgiu quando uma jovem muito pobre pediu a benção a Antônio, que na época era frei, porque não conseguiu realizar o sonho de casar por causa da baixa condição financeira. Sua família não tinha dinheiro para pagar o dote, muito menos para comprar as vestimentas para a cerimônia ou para o enxoval. Após abençoar a moça, o Frei pediu a ela que confiasse, pois em breve receberia doações e a solidariedade necessária para a realização do casamento. A lenda relata que alguns dias depois a moça recebeu em casa tudo que precisava e conseguiu se casar.

Flor do Mamulengo foi uma das danças apresentadas durante a Festa (Foto: Erick Balbino)
Flor do Mamulengo foi uma das danças apresentadas durante a Festa (Foto: Erick Balbino)

O fato percorreu o mundo e espalhou a ideia de que Santo Antônio arranjava casamentos. O que intriga é que, com o passar dos anos, as pessoas começaram a negociar com o religioso quando não conseguiam um companheiro, o “castigando” de diversas formas, como ao colocar sua imagem de cabeça para baixo num copo cheio de água.

A estudante universitária Andressa Pereira disse que durante uma brincadeira na casa de um amigo avistou a imagem de Santo Antônio e logo cuidou em enterrá-la de cabeça para baixo no quintal para poder arrumar um bom partido. O fato deixou todos que estavam presentes em gargalhadas. Duas semanas depois, ao encontrar o dono da casa na rua, ele a informou que desenterrou o santo por achar tudo aquilo uma bobagem.

“Enterrar a imagem foi uma brincadeira de momento, mas uma coisa é certa, eu continuo solteira. Nada me tira da cabeça que se o santo continuasse enterrrado eu poderia estar compromissada agora”, disse.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *