Treminhões com cana atingem rede elétrica em Peroba

Excesso de carga em treminhões afeta rede elétrica (Foto: Severino)
Excesso de carga em treminhões afeta rede elétrica (Foto: Severino Carvalho)

Moradores do distrito de Peroba, em Maragogi, no Litoral Norte de Alagoas, ameaçam interditar a rodovia AL-101 Norte. Eles estão revoltados com as constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica e a destruição de luminárias causadas pelos treminhões que transportam cana-de-açúcar para uma usina situada em Porto Calvo. As cargas acima do limite permitido esbarram na fiação, causando blecautes. Até um pórtico de boas-vindas instalado pela prefeitura de Maragogi já foi destruído pelos veículos pesados.

Os moradores reclamam que, como estão instalados na divisa de Alagoas com Pernambuco, a assistência prestada pelas equipes da Eletrobras Distribuição Alagoas tarda a restabelecer o fornecimento de energia.

“Na quarta-feira ficamos sem energia das 8 h às 14 horas”, revelou a comerciária Geise Nobre. Cansados de cobrar providências ao posto rodoviário do 6º Batalhão de Polícia Militar (6º BPM) instalado na AL-101 Norte e ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para que intensifiquem a fiscalização dos veículos transportadores de cana, os moradores ameaçam interditar a rodovia estadual em forma de protesto.

“É o que nos resta”, lamentou a comerciante Cleide Santos, cujo refletor instalado em frente ao estabelecimento comercial dela já foi destruído três vezes pelos treminhões. “Já ficamos sem energia elétrica das 23 horas até as 9 horas do dia seguinte”, acrescentou o marido dela, Francisco Aroeira, o “Kiko”.

Segundo os moradores, os caminhões responsáveis pelos incidentes pertencem à frota da Usina Santa Maria ou estão fretados pela empresa. A indústria, sediada em Porto Calvo, enfrenta grave crise financeira e, por isso, ainda não iniciou a moagem.

Dessa forma, ficaram em terras da usina 450 mil toneladas de cana. A matéria-prima não consegue ser absorvida pelas unidades sucroalcooleiras da região Norte de Alagoas. A solução encontrada foi vender parte da safra à Usina Trapiche, em Siranhaém, situada no Litoral Sul de Pernambuco, a 85 km de distância de Porto Calvo.

Por dia, cem toneladas de cana atravessam a divisa, elevando o tráfego de treminhões que precisam cortar o distrito de Peroba pela AL-101 Norte, ocasionando os incidentes na rede da Eletrobras. O diretor jurídico da Usina Santa Maria, advogado Jailson Carnaúba, garantiu que os transportadores serão chamados a atenção para que não trafeguem com cargas acima do peso e altura permitidos.

O DER informou, por sua vez, que agentes de trânsito serão deslocados do ponto-base existente em Japaratinga para o distrito de Peroba, onde intensificarão a fiscalização. Ainda de acordo com o Departamento, a carga não pode ultrapassar os quatro metros de altura.

Já a Eletrobras lembrou que os incidentes ocasionados pelos treminhões são um problema antigo e que já promoveu diversas reuniões com as usinas de Alagoas, mas lamentou que a irregularidade persista. Ainda conforme a concessionária, os treminhões e as queimadas são responsáveis por grande parte das interrupções no fornecimento de energia elétrica registradas no Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *