Treminhão: o perigo que vem do canavial

Treminhões nas estradas alagoanas elevam riscos de acidentes (Foto: Severino Carvalho)
Treminhões nas estradas alagoanas elevam riscos de acidentes (Foto: Severino Carvalho)

A morte do jardineiro Eduardo Bezerra da Silva, 41 anos, na AL-105, em Porto Calvo, na sexta-feira (14), levantou a discussão sobre o perigo que representa a circulação de treminhões que transportam cana-de-açúcar nas estradas alagoanas. Eduardo e a motocicleta dele foram esmagadas pelo titânico veículo que chega a medir 30 metros de comprimento.

“Várias vezes voltando à noite de Maceió estive perto de ter meu carro arrastado literalmente por um desses veículos”, relatou o mergulhador Ivam Merino, que mora em Maragogi, no Litoral Norte de Alagoas.

No acidente de sexta-feira, o treminhão saiu de uma estrada vicinal, de barro, e atravessou a AL-105 em direção ao pátio de uma usina localizada em Porto Calvo, onde descarregaria a cana transportada.

“Ele (o motorista do treminhão) não respeitou porque era uma moto cinquentinha e passou direto, sem olhar”, afirmou o servidor público Ricardo da Silva, irmão da vítima.

Segundo Ricardo, Eduardo ainda tentou evitar o choque com o treminhão. “A prova maior é a marca de 20 metros de freada no asfalto. Ele tentou livrar, mas não teve jeito. Não sei como estou suportando essa dor de ver meu irmão morto desse jeito”, lamentou.

Riscos

A safra da cana-de-açúcar eleva os riscos de acidentes nas rodovias que singram as regiões produtoras em Alagoas, sobretudo na Zona da Mata e nos tabuleiros costeiros. Nessa época do ano, treminhões, tratores e colheitadeiras dividem o mesmo espaço com os veículos de passeio, utilitários e de transporte de passageiros.

A presença da frota industrial dificulta as ultrapassagens, carreia material para o interior das pistas de rolamento e aumenta o desgaste do asfalto. Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), cerca de 960 veículos realizam o transporte de cana-de-açúcar em Alagoas. O tráfego é maior nas rodovias AL-220, AL-101 Sul, AL-101 Norte e AL-210.

O DER recomenda muita cautela aos demais condutores. Eles devem ter atenção redobrada, principalmente nos acessos e trajetos mais utilizados pelos veículos que transportam cana-de-açúcar. É preciso ter muita atenção com as ultrapassagens, somente realizando-as com segurança. Além disso, recomenda-se manter os faróis sempre acesos para que os condutores dos treminhões tenham também uma melhor visualização dos veículos que se aproximam.

O DER também faz recomendações aos transportadores de cana. Dentre as quais está o cuidado para que os veículos não permitam que o carregamento exceda as partes laterais e superior dos treminhões, evitando riscos aos demais veículos que trafegam pelas mesmas rodovias.

3 thoughts on “Treminhão: o perigo que vem do canavial

  1. Fiquei com dúvida nessa fala: “Ele (o motorista do treminhão) não respeitou porque era uma moto cinquentinha e passou direto, sem olhar”. Então se o motorista não olhou, como sabia que era uma moto cinquentinha? E mais, quem estava com ele na hora para afirmar que de fato o mesmo não viu a moto e passou direto? Me desculpe, mas está havendo contradição.

  2. Eu mesmo fui vítima de um acidente automobilístico no último dia 15/09 onde na curva da Fazenda nu Sul próximo ao km 72 que fica depois da usina Santo Antônio e antes de Matriz do Camaragibe onde eu me dirigia no sentido Maceió Matriz e quando adentrei nesta curva vinha um treminhao canavieiro sendo ultrapassado por outro e não tive outra alternativa a não ser me jogar no canavial onde o meu automóvel seu um vôo de mais de 5 mts de autura e eu fraturei o ombro em dois lugares trinquei o antebraço o cotovelo e lesionei a cervical e ão fui socorrido graças a um automóvel que vinha logo atrás e viu tudo e infelizmente não se tem como responsabilizar e punir estes bandidos disfarçados de motoristas pois falta fiscalização por parte do poder público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *