Reunião discute formas de barrar carros na praia

Caminhonete trafega em praia da APA Costa dos Corais, em Maragogi (Foto: Severino Carvalho)
Caminhonete trafega em praia da APA Costa dos Corais, em Maragogi, pondo em risco banhistas e meio ambiente (Foto: Severino Carvalho)

Representantes do Costa dos Corais Convention e Bureau (CCVB) e das Secretarias Municipais de Turismo e Meio Ambiente se reúnem, na manhã desta quarta-feira (12), para discutir propostas que serão levadas ao Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comdema) com o objetivo de barrar o tráfego de veículos nas praias de Maragogi. O debate foi motivado depois que a Gazetawebmaragogi exibiu reportagem e vídeos das irregularidades flagradas pelo empresário Luiz Cláudio Gonçalves, no distrito de Peroba.

Durante os quatro dias de carnaval, um cinegrafista contratado pelo empresário registrou, apenas no período de maré baixa,  a movimentação de 133 veículos na praia de Peroba, que integra a Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, maior Unidade de Conservação (UC) marinha do País, sob guarda e gerência do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

As imagens de motos, veículos utilitários e de quadriciclos transitando livremente, em alta velocidade, nas praias de Peroba e sobre os arrecifes revoltaram ambientalistas, moradores e o trade turístico da Costa dos Corais. “Todos nós somos responsáveis por esta barbaridade! Precisamos que a sociedade se manifeste. Em toda parte, o desrespeito à natureza é flagrante. Denunciem ao ICMBio, ao IMA, ao IBAMA, ao Ministério Público, à PM, nas rádios, onde puderem. Aqui falo como cidadão, se estivermos sós seremos atropelados”, clamou, nas redes sociais, o analista ambiental do ICMBio, Ulisses Santos.

A reunião será realizada na sede da Secretaria Municipal de Turismo de Maragogi, a partir das 9h30. “Nosso objetivo é levar essa demanda para a próxima reunião do Comdema. Através do Conselho, vamos encaminhar ofício ao Comando Geral da Polícia Militar para que envie reforço policial com objetivo de aumentar o patrulhamento nas praias de Maragogi”, afirmou o diretor executivo do CCVB, Leandro Lira.

“O CCVB está à disposição das autoridades para colaborar no que for necessário”, se dispôs a presidente da entidade, Vergínia Estodolni. A secretária de Turismo de Maragogi, Mariana Gorenstein, também afirmou que o município está disposto a colaborar com a polícia e o ICMBio para combater o tráfego de veículos nas praias, que ameaça a vida dos banhistas e o meio ambiente.

Uma das propostas da secretária será a fixação de placas alertando os condutores sobre a proibição de circular com veículos automotores nas praias do município. “A proibição já existe no plano de manejo da APA Costa dos Corais, o que falta é conscientização e fiscalização”, observou Mariana. O comandante do 6° BPM, tenente-coronel José Carlos Duarte, lembrou que, durante o carnaval, destinou uma dupla de policiais para monitorar as praias de Maragogi por meio de um Buggy alugado e cedido pelo município.

Ele lamentou, entretanto, não dispor de efetivo suficiente para manter o policiamento ostensivo nas areias. “Estamos fazendo das tripas coração. O jeito é aguardar o envio dos novos recrutas para o 6° Batalhão”, disse o oficial. O chefe da APA Costa dos Corais, Paulo Roberto Corrêa, deseja convocar o Ministério Público Federal (MPF) para discutir o problema e encontrar soluções. Uma delas seria a propositura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que estabeleceria responsabilidades para todos os órgãos envolvidos na gestão compartilhada da UC.

5 thoughts on “Reunião discute formas de barrar carros na praia

  1. Não é só em Maragogi que isso acontece, mas sim ao longo de todo o litoral norte do Estado, essa prática está presente em Paripueira, Sonho Verde,Tabuba, Barra de Santo Antônio e segue o restante do litoral. São camionetes, quadriciclos (dirigidos por menores) motos etc.; e se houver alguma reclamação por parte de alguém, ainda que de maneira educada gera um mal-estar e uma resposta desaforada e com citações tais como: Sou isso, sou aquilo, sou sobrinho de fulano, meu pai é político tal, e por aí vai. Infelizmente é Brasil onde a Lei só existe para os menos favorecidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *