Reconstruídas há 3 anos, rodovias apresentam buracos

Situação da AL-480, entre Porto Calvo e Jundiá: buracos e lama (Fotos: Severino Carvalho)
Situação da AL-480, entre Porto Calvo e Jundiá: buracos e lama (Fotos: Severino Carvalho)

Reconstruídas em 2011 e 2013, as rodovias AL-480 e AL-105, respectivamente, encontram-se em pandarecos. Os trechos compreendidos entre os municípios de Porto Calvo, Jundiá e Jacuípe estão tomados pelos buracos e pela lama. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) tem conhecimento da situação e informou que vai convocar as empreiteiras para que realizem os devidos reparos, uma vez que as obras ainda estão dentro do prazo de garantia.

“Realmente essa estrada se estragou muito rápido, não era para estar assim, destruída. É dinheiro público jogado fora”, afirmou o prestamista José Carlos Omena que mora em Porto Calvo e uma vez por semana se desloca a Jacuípe pelas rodovias AL-105 e 480.

A restauração de 26,2 quilômetros da AL-105, interligando os municípios de Porto Calvo a Jacuípe, foi concluída no segundo semestre de 2012. Segundo o DER, a obra foi entregue no início de 2013. A rodovia teve de ser reconstruída diante da precariedade em que se encontrava.

O governo do Estado firmou convênio com a Petrobras para execução da obra, orçada em R$ 11,7 milhões. A empresa petrolífera reconheceu os estragos provocados à malha rodoviária pelos veículos pesados quando da construção do gasoduto Galsape, que interliga Pilar (AL) a Ipojuca (PE). Foi uma espécie de compensação pelos danos.

Menos de dois anos depois, a AL-105 mais parece uma estrada de barro em alguns trechos. O asfalto cede em vários locais e os buracos estão polvilhados por toda a extensão da via. A situação eleva os riscos de acidentes. Os motoristas serpenteiam no asfalto para desviar dos buracos e muitas vezes invadem, inadvertidamente, a contramão.

As chuvas generosas que caem na região Norte do Estado e o tráfego pesado de veículos utilizados no transporte da cana-de-açúcar potencializam ainda mais o desgaste do asfalto. “É a primeira vez que venho a Jacuípe e tive essa surpresa nada agradável. A estrada até parece ser nova em algumas partes, mas tem muitos buracos”, estranhou o advogado Bruno Farias, que trafegava pela AL-105.

Isolamento

Tráfego pesado potencializou destruição da AL-105, que liga Porto Calvo a Jacuípe
Tráfego pesado potencializou destruição da AL-105, que liga Porto Calvo a Jacuípe

A reconstrução da AL-480, em 2011, tirou o município de Jundiá do isolamento em que se encontrava há mais de uma década. A fina camada de asfalto aplicada, porém, se desmancha com facilidade e a buraqueira volta a reinar nos trechos que interligam a cidade aos municípios de Porto Calvo e Novo Lino.

Nas imediações da extinta destilaria Maciape, em Porto Calvo, o DER iniciou uma espécie de operação tapa-buraco, mas não deu prosseguimento ao serviço.

O Departamento Estadual informou que as obras de reconstrução das duas estradas estão dentro do prazo de garantia e que as empreiteiras serão convocadas, esta semana, para realizar os reparos. Ainda de acordo com o DER, o chamamento já havia sido feito anteriormente, mas foi ignorado.

2 thoughts on “Reconstruídas há 3 anos, rodovias apresentam buracos

  1. Façam uma matéria da via que liga Biu Bentes a São Luiz do Quitunde.

    Uma vergonha! Uma obra que está se arrastando por anos e já apresenta defeitos absurdo, tais como as encostas caindo no meio do asfalto.

    Passem por lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *