Projeto traz para Alagoas mais 4 peixes-boi

Animal é retirado de piscina içado por guindaste (Fotos: Severino Carvalho)
Animal é retirado de piscina içado por guindaste (Fotos: Severino Carvalho)

Já estão nas águas do Rio Tatuamunha, em Porto de Pedras, Litoral Norte de Alagoas, os peixes-boi marinhos: Raimundo, Natália, Quitéria e Clara. Eles foram trazidos da sede do Projeto Peixe-Boi, em Itamaracá (PE), para serem reintroduzidos na natureza. A operação de translocação teve início ainda no domingo (25) e terminou na terça-feira (27) com a soltura dos animais.

O Projeto Peixe-Boi Marinho é desenvolvido pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Aquáticos (CMA), órgão ligado ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A operação de translocação mobilizou cerca de 50 profissionais, entre tratadores, veterinários e biólogos.

Os animais vieram transportados em caminhões do tipo “munck”, dentro de piscinas de fibra de vidro. A operação fez parte da programação comemorativa alusiva aos 20 anos do Programa de Manejo para a Conservação dos Peixes-boi, que já devolveu à natureza 45 exemplares na costa dos Estados de Alagoas e da Paraíba; 32 só em Alagoas. Destes, 30 em Porto de Pedras, onde está localizada a principal área de soltura do País.

Animal retirado da piscina, repousa, antes de ser levado ao recinto
Peixe-boi repousa, antes de ser levado ao recinto

O peixe-boi marinho (Trichechus manatus LINNAEUS, 1758) é uma das espécies mais ameaçadas de extinção no Brasil. “O sentimento é de dever cumprido porque esses animais passam por um período muito longo de reabilitação, em média cinco anos em cativeiro, desde o resgate até a soltura. É investido muito recurso para que cada indivíduo possa ser solto e cumprir com o seu papel biológico e ecológico”, destacou o analista ambiental do ICMbio, Iran Normande.

De acordo com o biólogo, dos animais devolvidos à natureza pelo Projeto Peixe-Boi Marinho, 76% conseguiram se adaptar e sobreviver. Batizados de Raimundo, Natália, Quitéria e Clara, os animais foram um a um içados pelo guindaste e carregados pelos tratadores até o Rio Tatuamunha, onde foram soltos. Eles fizeram companhia a Joana, Folião e Branca que já estavam no recinto desde o dia 28 de abril deste ano.

“Eles vão passar cerca de seis meses no recinto. A soltura depende da avaliação comportamental. Um profissional fica observando o comportamento de cada peixe-boi, vendo com ele interage um com outro, com o meio; como se alimentam, tomam água”, informou o analista ambiental do ICMbio, Ulisses Santos.

Peixe-boi é carregado pelos tratadores
Exemplar é carregado pelos tratadores

A soltura foi acompanhada por diversos estudantes das redes públicas dos municípios de Porto de Pedras e de São Miguel dos Milagres. “Pra mim, o peixe-boi tem uma grande importância para a região. A gente tem de preservar o meio ambiente para que ele continue vivo. Isso é uma grande ajuda. O turismo também melhorou muito depois da chegada desses animais aqui”, observou a estudante do 3º ano Yakessia Almeida dos Santos, 16 anos, que faz parte do grupo de Jovens Protagonista da Costa dos Corais.

 

Histórico dos animais translocados em 2014

  • Raimundo: um macho que tinha a idade estimada entre 15 e 20 dias, com comprimento total de 127 centímetros e 38 quilos, foi encontrado encalhado, no dia 24 de Março de 2011, na praia de Porto do Mangue, município de Porto do Mangue/RN. Foi resgatado pela equipe do Projeto Cetáceos da Costa Branca (PCCB/UERN), o qual, após avaliação clínica do animal, optou-se por tentar a reintrodução imediata. Entretanto, não foi encontrado nenhum animal adulto na área, de maneira que, foi necessário levá-lo para o Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos (CRMM) da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (AQUASIS) para estabilização do animal e posterior processo de reabilitação. No dia 06 de Abril de 2011 o animal foi translocado ao CMA/ICMBio (Itamaracá/PE) em uma aeronave bimotor do Governo do Ceará, cedida em parceria com a AQUASIS.
  • Natália: uma fêmea com 138 centímetro e idade estimada entre 5 e 10 dias, encalhou na Praia de Retiro Grande, no município de Icapuí/CE em 25 de Dezembro de 2011 e foi resgatada pela equipe Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (AQUASIS). A equipe realizou tentativas de busca por peixes-boi adultos nas áreas próximas ao encalhe do filhote, a fim encontrar a suposta mãe e assim poder realizar a tentativa de reintrodução imediata. Depois de esgotadas as tentativas, todas sem sucesso, o animal foi translocado para as instalações da AQUASIS.  O animal permaneceu no Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos (CRMM – AQUASIS) até obter estabilização clínica e poder seguir para o centro de reabilitação do CMA/ICMBio, localizado na Ilha de Itamaracá/PE, processo que ocorreu em 17 de Janeiro de 2012.
Bicho é solto no recinto de readaptação no Rio Tatuamunha
Bicho é solto no recinto de readaptação no Rio Tatuamunha
  • Quitéria: encalhou na praia de Tremembé, município de Icapuí/CE, no dia 14 de Março de 2010 com aproximadamente 2 dias de idade e 26 quilos. O animal foi resgatado pela equipe da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (AQUASIS). Devido à ausência de animais adultos na área, naquele momento, e com as condições de maré, a tentativa de reintrodução imediata foi inviabilizada. O animal permaneceu no Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos (CRMM – AQUASIS) até obter estabilização clínica e poder seguir para o centro de reabilitação do CMA/ICMBio, localizado na Ilha de Itamaracá/PE, processo que ocorreu em 26 de Março de 2010.
  • Clara: uma fêmea com idade estimada entre 2 e 3 dias, comprimento total de 116 centímetros e 26 quilos. Foi encontrada encalhada, no dia 07 de Março de 2010, na praia de Retirinho, município de Aracati/CE. Foi resgatada pela equipe da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (AQUASIS). Durante a avaliação clínica inicial, parte da equipe técnica avistou uma fêmea adulta com um filhote nas proximidades da área do encalhe. Assim, diante de condição clínica favorável de Clara e da presença de uma fêmea nativa na região, tentou-se por duas vezes consecutivas a reintrodução imediata. Entretanto, apesar da condição propícia não houve sucesso nas duas tentativas de soltura no local, de tal forma que, fez-se necessário levá-la para o Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinhos (CRMM) para estabilização e posterior processo de reabilitação. No dia 26 de Março de 2010 o animal foi translocada ao CMA/ICMBio (Itamaracá/PE) em uma aeronave bimotor do Governo do Ceará, cedida em parceria com a AQUASIS. Clara está com 51 meses e 261 centímetros de comprimento total.
  • Joana: uma fêmea com idade estimada entre 3 e 5 dias, com comprimento total de 135 centímetros e 47 quilos, foi encontrada encalhada, ainda com resquícios do cordão umbilical, no dia 19 de março de 2010, no Pontal do Maceió, município de Fortim/CE. Foi resgatada pela equipe da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (AQUASIS), a qual, após avaliação clínica do animal, optou por tentar a reintrodução imediata. Entretanto, não foi encontrado nenhum animal adulto na área, de maneira que, foi necessário levá-la para o CRMM da AQUASIS para estabilização do animal e posterior processo de reabilitação. No dia 26 de março de 2010, o animal foi translocado ao CMA/ICMBio (Itamaracá/PE) em uma aeronave bimotor do Governo do Ceará, cedida em parceria com a AQUASIS.
  • Branca: encalhou na Praia de Areias Alvas, no município de Grossos/RN em 19 de Setembro de 2011 e foi resgatada pela equipe do PCCB/UERN com o apoio dos técnicos da AQUASIS. As duas equipes realizaram tentativas de busca por peixes-boi adultos nas áreas próximas ao encalhe do filhote, a fim encontrar a suposta mãe e assim poder realizar a tentativa de reintrodução imediata. Depois de esgotadas as tentativas, todas sem sucesso, o animal foi translocado para as instalações da AQUASIS, onde permaneceu até o filhote obter uma estabilização clínica e poder seguir para o centro de reabilitação do CMA/ICMBio, localizado na Ilha de Itamaracá/PE.
  • Folião: encalhou na praia de Miriri, município de Miriri-PB, no dia 19 de fevereiro de 2012 com aproximadamente três dias de nascido e com 126 centímetros de comprimento e 29 quilos. O animal foi resgatado por banhistas da localidade e levado para a APA da Barra de Mamanguape – PB, onde passou por uma avaliação clinica e logo foi transferido para o centro de reabilitação do CMA/ICMBio, localizado na Ilha de Itamaracá/PE. As condições de maré e a ausência de grupos de peixes-bois nativos e adultos na área em que o filhote foi encontrado inviabilizou uma tentativa de reintrodução imediata. Folião atualmente está com 26 meses de idade, 217 centímetros de comprimento total e aproximadamente 200 quilos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *