Procurador-geral presta apoio a promotor de Justiça

Procurador-geral e promotores comparecem a São Luís do Quitunde para prestar solidariedade a Jorge Bezerra (Foto: Severino Carvalho)
Procurador-geral e promotores comparecem a São Luís do Quitunde para prestar solidariedade a Jorge Bezerra (Foto: Severino Carvalho)

O procurador-geral de Justiça de Alagoas, Sérgio Jucá, esteve, na manhã desta quarta-feira (18), em São Luís do Quitunde, para prestar apoio ao promotor de Justiça, Jorge Bezerra da Silva. Segundo Jucá, ele foi ofendido por declarações na imprensa feitas pelo prefeito do município, Eraldo Pedro (PMDB), que o acusa de perseguição política. O gestor é alvo de oito ações por atos de improbidade administrativa e foi afastado, temporariamente, duas vezes do cargo.

Jucá afirmou que o Ministério Público Estadual (MPE) é uno e indivisível, formado por gente abnegada e com vocação de servir ao povo. Ele garantiu que a instituição não transigirá no estrito cumprimento de suas obrigações legais e que dará apoio incondicional a Jorge Bezerra.

“Um dos nossos integrantes da carreira foi ofendido. Queremos mostrar ao município que Jorge Bezerra, uma legenda na instituição, não está isolado. Ele tem ao seu lado a chefia do Ministério Público e as figuras mais representativas da instituição”, declarou Jucá.

Funcionários públicos municipais, aposentados e pensionistas também estiveram no fórum de Justiça da cidade para prestar solidariedade ao promotor. Eles temem pela saída de Jorge Bezerra, possibilidade rechaçada pelo procurador-geral. Muitos dos servidores, ativos e inativos, chegaram a ficar três meses sem receber salários.

“Se não fosse o promotor a gente estava perdido, não tinha recebido um centavo”, afirmou a aposentada Maria José Lamenha Lins, 65 anos.

Estiveram, ainda, em São Luís do Quitunde para prestar apoio a Jorge Bezerra os promotores de Justiça: José Carlos Castro, do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público; Adilza Inácio, presidente da Associação do Ministério Público de Alagoas (Ampal); Marlisson Andrade, da Promotoria de Justiça de Paripueira; Pedro Barbosa, procurador-geral do MP de Contas; Elísio Maia, do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) e o promotor de Justiça Tácito Yuri.

“Eu agradeço a solidariedade do Ministério Público e o apoio da coletividade. Somos apenas meros cumpridores do dever legal e funcional”, declarou Bezerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *