Presidente nega privatização da praia do Patacho

Benedito denuncia que donos de pousadas estão impedindo marisqueiras de catar o alimento nas praias (Fotos: Severino Carvalho)
Benedito denuncia que donos de pousadas estão impedindo marisqueiras de catar o alimento na praia do Patacho (Fotos: Severino Carvalho)

A presidente da Associação da Rota Ecológica de Alagoas (Areal), Corine Vard, negou, nesta quarta-feira, em entrevista ao jornal Gazeta de Alagoas, que os donos de pousadas estejam privatizando a praia do Patacho, em Porto de Pedras, e obstruindo os acessos ao litoral. Na terça-feira, moradores do povoado Curtume realizaram uma manifestação para denunciar a obstrução de uma estrada vicinal por empreendimentos hoteleiros.

“A gente nunca quis fechar o acesso à praia (do Patacho). Isso é mentira. O dono de uma pousada, que está sendo construída, começou a elaborar um projeto de recuperação e limpeza da estrada e, de repente, aparecem pescadores e marisqueiras que nunca existiam para protestar”, reagiu Corine Vard.

Ela também desmentiu a informação de que será construído um resort na praia do Patacho. De acordo com a presidente da Areal, a obra que está sendo executada no local tem a ver com a edificação de uma pousada com cerca de dez apartamentos que não impedirão o acesso à praia.

A Areal congrega donos de pousadas requintadas instaladas ao longo do litoral de Porto de Pedras, São Miguel dos Milagres e Passo do Camaragibe. Esses estabelecimentos atraem um público seleto do Sul e Sudeste do País, bem como hóspedes internacionais, atraídos pelas belezas naturais da Costa dos Corais alagoana e pelo conforto desses empreendimentos hoteleiros.

O protesto

Antiga estrada interliga os povoados de Curtume e Lages, passando pelo litoral
Antiga estrada interliga os povoados de Curtume e Lages, passando pelo litoral

Na manhã de terça-feira, moradores de Porto de Pedras interditaram a AL-101 Norte, no trecho que corta o povoado Curtume. O ato foi organizado pela Colônia de Pesca Z-25 para protestar contra o que classificam de “privatização” da praia do Patacho por donos de pousadas e a obstrução dos acessos ao litoral por edificações hoteleiras.

Os manifestantes exigiam a realização de audiência pública para discutir a lei que criou, em 2006, a Zona Especial de Turismo (ZET), que permite – segundo eles – a construção de um resort naquela área.

Pescadores e marisqueiras denunciaram que empresários do setor hoteleiro, ali instalados e atraídos pela fama da Praia do Patacho – eleita a terceira mais bonita do Brasil – planejam interditar a principal estrada de acesso dos povoados Curtume e Lages ao litoral.

A via de chão batido é centenária e possui cerca de três quilômetros. Uma nova rodovia seria aberta, mas passaria a 600 metros de distância da costa marítima. “A comunidade não vai admitir”, reagiu o presidente da Colônia Z-25, Pedro Luiz da Silva.

“A gente quer que aconteça uma audiência pública para discutir essa situação. Não somos contra o progresso, mas que ele não atropele os nativos. Queremos que deixem a via de acesso para os pescadores e marisqueiras que trabalham na praia”, completou.

Com troncos de coqueiro, palhas e pedras, os manifestantes interditaram a AL-101 Norte na altura do povoado Curtume. O tráfego de veículos foi desviado propositalmente para dentro da estrada que está sendo reivindicada para que os usuários da via tomem consciência da importância dela para a comunidade.

Moradores interditaram a AL-101 Norte, em Porto de Pedras para protestar
Moradores interditaram a AL-101 Norte, em Porto de Pedras para protestar

“Com dez anos de idade, eu saía para pescar com meu pai e minha mãe e ninguém nunca viu essa estrada fechada. Como é que quem vem de fora quer agora fechar a praia da gente? Não pode!”, enfatizou Gedalva Batista Cavalcante, com 77 anos de idade. Segundo os manifestantes, donos de pousadas estariam proibindo a presença das marisqueiras nas praias onde os estabelecimentos hoteleiros estão localizados.

“Tem uma vizinha minha que foi cavar marisco e quando ela chegou de frente a uma pousada o dono falou: ‘você quer quanto para não cavar mais marisco aí?’ A mulher olhou para ele e ficou sem ação. Ela pegou o baldezinho, com os poucos mariscos que tinha catado, e saiu. O dono da pousada ficou lá, como o grande, e a mulher até hoje está perplexa, não sabe o que fazer”, contou o pescador Domingos Sebastião dos Santos, 57.

5 thoughts on “Presidente nega privatização da praia do Patacho

  1. Não é novidade que proprietários de tais empreendimentos queiram privatizar a orla; anos atrás o mesmo dilema aconteceu em Maceió; a mobilização popular e a determinação enérgica da DPU (Delegacia do Patrimônio da União)da fez com o proprietário da o empreendimento recuasse. a lei de Gerenciamento Costeiro é bastante clara neste aspecto. Quem facilita tais atos, são os políticos corruptos da região; pessoalmente nunca ouvi falar dessa tal associação de rota ecológica; pois, um dos princípios para um desenvolvimento sustentável é manter a cultura e a vocação econômica da localidade.

  2. BEM ASSIM É NA BARRA. NOVA VAI CHEGAR UM DIA NIMGUEM VAI PODER TOMAR BANHO NA LAGOA, AS PESSOAS COMPRAM O TERRENO NA FRENTE DA LAGOA E DE BRINDE TOMA POSSE DA LAGOA QUE FICA EM FRENTE O TERRENO. E O PIOR É QUE A PREFEITURA SABE E NÃO FAZ NADA, AGORA EU PERGUNTO CADE A MARINHA PARA VER ISSO.

  3. Se for olhar o litoral partindo da Secretaria da fazenda em jacarecica aí você começa a ver o que é PRIVATIZAÇÃO.

    “MANDA QUE PODE OBEDECE QUEM TEM JUÍZO”

    Essa é uma frase que se encaixa bem no Estado de Alagoas.

  4. Tudo isso é mentira, na realidade ninguem quis fechar praia alguma, o que acontece é que poisadas e hotéis precisam ser construídos e o que precisamos como moradores e nativos aqui de Porto de pedras é rinbidicar acesso a cada 600 metros a praia, e que o progresso chegue mesmo pois precisamos de empregos e renda. Transfiram mesmo a estrada da beira da praia pra trás mas criem acessos a praia a cada 600 metros! Pracisamos cuidar do crescimento sustentável e lixo, carro, ônibus na beira da praia nao pode permanecer.

  5. Se os locais permitirem, eles privatizam tudo, vejam Coroa Vermelha-BA era para índios, hoje até dono de rede de televisão tem mansão lá dentro, e os locais expropiados, estão espremidos entre brancos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *