Porto Calvo está às escuras e população reclama

Escuridão toma conta da Rua Professor Guedes de Miranda, em imagem enviada por morador
Escuridão toma conta da Rua Professor Guedes de Miranda, no centro de Porto Calvo em imagem enviada por morador

Quando a noite cai, a escuridão toma conta das ruas enladeiradas de Porto Calvo, a 100 km de Maceió. A deficiência do sistema de iluminação pública é evidente e pode ser verificada em vias centrais ou periféricas. O breu é um só. Os moradores cobram providências à prefeitura municipal e reclamam que o “apagão” favorece a prática de crimes, numa das cidades mais violentas da região Norte de Alagoas.

“Porto Calvo está todo no escuro, principalmente esse trecho que vai do centro da cidade à Mangazala (bairro). A prefeitura não está trocando as lâmpadas queimadas”, criticou o comerciante Afrânio da Silva, que mora no Alto da Força, onde, também, a escuridão predomina.

No centro da cidade, a Rua Professor Guedes de Miranda é uma das mais afetadas. Lá, três postes estão com as luminárias apagadas. Um morador, que pediu para não ser identificado, encaminhou imagens do logradouro às escuras.

“Pagamos a taxa de iluminação pública, mesmo assim, o serviço deixa a desejar”, lamentou ele.

Nem as localidades mais afastadas são poupadas da escuridão. Segundo a dona de casa Lindinalva do Nascimento, na rua onde a mãe dela reside, no povoado Caxangá, oito lâmpadas não acendem quando o sol se despede.

“O que mais dá medo é a violência. Por causa da escuridão tem havido muito roubo em Porto Calvo. Aqui se mata como se mata no Recife e em Maceió. Porto Calvo está um horror”, lamentou Lindinalva.

No Memorial Calabar, o vandalismo é o responsável pela escuridão. Os postes instalados na praça tiveram as luminárias destruídas ou pichadas. As esculturas que representam a morte por garroteamento do controvertido herói nacional, Domingos Fernandes Calabar, também foram vandalizadas.

Enquanto que em muitas ruas a escuridão reina à noite, durante o dia é possível verificar que lâmpadas, em algumas localidades, permanecem ligadas ininterruptamente, por 24 horas. É o caso da Travessa São Sebastião, onde a reportagem flagrou duas luminárias acesas.

Em 15 dias

O gestor municipal de Iluminação Pública, Ivan Bianchi, garantiu que dentro de, no máximo, 15 dias vai iniciar a reposição do material, cuja compra, orçada em cerca de R$ 20 mil, já foi concluída. De acordo com ele, a principal causa da escuridão em Porto Calvo não é a ausência de lâmpadas, mas, sim, a ocorrência de defeitos numa peça denominada de relê fotoelétrico.

Trata-se de um dispositivo de controle que possui a função de acender e apagar uma lâmpada de acordo com o nível de iluminação do ambiente. Isso permite que ela seja ligada automaticamente quando o ambiente em questão está com baixo nível de luz desejado (no entardecer, por exemplo) e desligada automaticamente quando o ambiente encontra-se com nível de luz suficiente (como no amanhecer).

“São poucas as lâmpadas em Porto Calvo que estão com problemas e que precisam ser substituídas. O problema principal são os relês fotoelétricos, que já foram adquiridos em quantidade suficiente para efetuarmos a troca em todo o município”, informou Bianchi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *