População sai em defesa da Praça da Piedade

Praça Nossa Senhora da Piedade tem igreja homônima datada de 1850 (Fotos: Severino Carvalho)
Praça Nossa Senhora da Piedade tem igreja homônima datada de 1850 (Fotos: Severino Carvalho)

Reportagem do jornal Gazeta de Alagoas desta quarta-feira (26) mostra que os moradores de Porto de Pedras, no Litoral Norte do Estado, são contrários ao projeto de lei que propõe a mudança de nome da Praça da Piedade, onde foi assassinado o soldado da Polícia Militar (PM) Ivaldo Oliveira da Silva, em 9 de dezembro de 2013.

A intenção da prefeita Camila Farias (PSC) de homenagear o militar dando ao logradouro o nome do policial encontra resistência na população que está se mobilizando contra a proposta, inclusive nas redes sociais. Os moradores também iniciaram a confecção de um abaixo-assinado em prol da manutenção da denominação original: Praça Nossa Senhora da Piedade.

“Se for pra dar nome de praça a quem já morreu, Alagoas vai virar um cemitério”, contestou o estudante Agnaldo José Souza, 31 anos, em entrevista à Gazeta. Os moradores até aprovam que o município homenageie o policial militar, mas não trocando o nome da praça que integra um conjunto arquitetônico cujo principal elemento histórico é a Igreja de Nossa Senhora da Piedade, datada de 1850.

“A Praça da Piedade faz parte da história do município. A homenagem é justa, mas que a coloquem no posto policial ou que se construa uma nova praça”, propõe o estudante universitário Rafael Almeida, morador da cidade.

“Até o bispo (dom Antônio Muniz), que esteve na missa de domingo, não gostou dessa história de mudar o nome da praça”, afirmou a estudante Joaneli de Moura Ramos, 43.

“Sou de acordo que se faça um novo GPM (Grupamento de Polícia Militar) e que se bote o nome do soldado. Trocar o nome da praça é um absurdo”, enfatizou o comerciante Manoel Miguel Neto.

“Nasci e me criei em Porto de Pedras e essa praça sempre foi conhecida assim. Sou contra a mudança”, completou a dona de casa Mauricinéia Santos Lima, 53.

População se mobiliza nas redes sociais e confecciona abaixo-assinado por manutenção do nome da praça
População se mobiliza nas redes sociais e confecciona abaixo-assinado por manutenção do nome da praça

Em entrevista recente, a prefeita de Porto de Pedras sustentou que a troca de nomes é uma justa homenagem ao policial que foi assassinado brutalmente com dezenas de tiros na Praça da Piedade, depois de ter sido arrancado do GPM, onde trabalhava, por uma quadrilha de assaltantes.

Cerca de dez bandidos invadiram a unidade militar e roubaram armas, coletes e fardamento dos policiais. Há rumores de que Camila Farias teria desistido da proposta que, se for levada à frente, terá de passar pelo crivo da Câmara Municipal.

“Vamos nos mobilizar para pressionar os vereadores contra o projeto”, revelou o analista ambiental Ulisses Santos, que reside no município. Contactada, a prefeita não se pronunciou sobre o assunto.

One thought on “População sai em defesa da Praça da Piedade

  1. não concordo com a mudança do nome da Praça de N.S. da Piedade, sou natural de Porto de Pedras, é uma cidade histórica e a praça faz parte dessa história, é justo que se faça a homenagem ao policial que morreu inocente, mas construa outro espaço.Vamos a luta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *