Piscinas abandonadas preocupam moradores

Água parada e lixo se acumulam em piscina abandonada (Fotos: Severino Carvalho)
Água parada e lixo se acumulam em piscina abandonada na sede da AABB (Fotos: Severino Carvalho)

Duas piscinas abandonadas dentro da sede da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) de Porto Calvo se converteram em motivo de preocupação para os moradores da Rua do Varadouro. A água parada favorece a proliferação de vetores e os residentes temem a ocorrência de doenças, a exemplo da Dengue e da Febre Chikungunya.

“Moro aqui há 14 anos e esse descaso persiste. Se nada for feito, vamos procurar o Ministério Público Estadual para que essas piscinas sejam esvaziadas”, afirmou Maria de Lúcia Borba, dona de uma escola instalada na Rua do Varadouro, em entrevista à Gazeta de Alagoas, edição desta terça-feira (31).

A dona de casa Maria de Fátima Oliveira relata que faz uso constante de inseticidas para matar os mosquitos e revela que os venenos já não dão mais vencimento, tamanha é a infestação.

“A gente vive com a raquete (elétrica) na mão. Só conseguimos dormir com mosquiteiro”, reclamou ela.

O motorista Joselito André de Souza diz que a partir das 16 horas é impossível ficar na praça central da Rua do Varadouro. “É muito mosquito. Eles são enormes e outros são rajados, da Dengue”, afirmou o morador.

As piscinas abandonadas (uma infantil e outra para adultos) pertencem à sede desativada da AABB de Porto Calvo. No local, há ainda a casa de bombas subterrânea. O compartimento está aberto e representa perigo, principalmente às crianças que por ali brincam livremente e podem cair no buraco.

Casa de bombas também acumula água parada e está aberta
Casa de bombas também acumula água parada e está aberta: perigo

Nas piscinas é possível observar larvas de mosquitos. Além da água, há muito lixo depositado no fundo e nos arredores, a exemplo de garrafas plásticas, copos descartáveis e latas.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura informou que, por meio de um acordo com a direção da AABB, vai drenar a água da chuva que se acumula nas piscinas. Uma máquina retroescavadeira foi acionada para executar o serviço.

“Um canal de drenagem na piscina vai fazer o escoamento das águas das chuvas, evitando o acúmulo. Isso foi acordado com a AABB”, afirmou o secretário municipal de Infraestrutura, Alexandre Scala.

A prefeitura informou, ainda, que agentes de endemias aplicam larvicida nas piscinas para evitar a proliferação de mosquitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *