Rodovias são entregues inacabadas na região Norte

Rodovia AL-430, entre Flexeiras e São Luís do Quitunde (Fotos: Severino Carvalho)
Rodovia AL-430, entre Flexeiras e São Luís do Quitunde: 3 km ficaram sem asfalto (Fotos: Severino Carvalho)

Obras rodoviárias na região Norte de Alagoas foram entregues inacabadas pelo governo do Estado no fim de 2014. Consideradas estratégicas para a economia – lastreada sobretudo na atividade turística – essas vias aguardam a conclusão de serviços como pavimentação asfáltica, pontes, drenagem e sinalização.

Elas fizeram parte do pacote de investimentos da ordem de R$ 460 milhões em saneamento, habitação e implantação e recuperação de rodovias na Região Norte do Estado, anunciado em outubro de 2013 pelo então governador Teotonio Vilela (PSDB), durante etapa do programa “Governo Perto de Você”.

Três quilômetros da AL-430, entre São Luís do Quitunde e Flexeiras, ficaram no barro. A obra fazia parte do Programa da Reconstrução – voltado às áreas atingidas pelas enchentes de 2010 – mas foi paralisada por indícios de irregularidades apontados pela Controladoria Geral da União.

Os serviços foram retomados, mas a obra, entregue em dezembro do ano passado inacabada. Os trechos asfaltados, concluídos, não possuem sinalização e já apresentam buracos.

“Esperamos que o novo governo faça essa estrada. Do jeito que ela ficou é horrível andar por aqui. Sem contar que tem muito assalto”, observou a aposentada Marli Cavalcante, cujo carro em que viajava ziguezagueava pela empoeirada estrada.

Flamenguinha

Pontes não ficaram prontas na Alça da Flamenguinha e motoristas seguem por desvios
Pontes não ficaram prontas na Alça da Flamenguinha e motoristas seguem por desvios

A Alça da Flamenguinha foi anunciada como uma das obras mais importantes para alavancar o turismo na região Norte do Estado, segundo maior polo hoteleiro de Alagoas. Foi iniciada em janeiro de 2010.

Conta com a construção de três pontes e um viaduto (passagem de nível), além da pavimentação de 28 km de estrada, ligando a parte alta de Maceió ao município de São Luís do Quitunde.

O valor total da obra é R$ 39 milhões, recursos do Governo do Estado conseguidos por meio de empréstimo ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Parte, R$ 18 milhões, é oriunda de convênio com o Ministério do Turismo (MTur).

A via liga o município de São Luís do Quitunde ao Benedito Bentes, encurtando em 32 km a distância entre a região Norte do Estado e a capital alagoana. Isso representa uma redução de até 30 minutos entre os dois pontos e um acesso mais rápido ao Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares.

A pavimentação encontra-se praticamente pronta, entretanto, a implantação das obras de artes especiais – a exemplo das pontes – não foi concluída. Exemplo dessa situação é a ponte sobre o Rio Jitituba, em São Luís do Quitunde. Os motoristas são obrigados a desviar por uma estrada de barro.

O encurtamento da viagem tem atraído cada vez mais motoristas à estrada, mesmo com as obras inacabadas. Porém, trafegar pela via depois das 17 horas é um risco. Diversos assaltos têm acontecido nos trechos onde os condutores são obrigados a reduzir a velocidade por causa das obras.

“Sempre acontecem assaltos aqui, principalmente depois das 5 horas da tarde. Tem que ficar esperto”, alertou o trabalhador rural Benedito Alfredo, que mora na Fazenda Santa Cruz, uma das propriedades rurais cortadas pela nova rodovia.

AL-460

Asfalto já apresenta buracos na AL-460, em Porto de Pedras
Asfalto já apresenta buracos na AL-460, em Porto de Pedras

A implementação de 22,6 km de asfalto da AL-460, que interliga os municípios de Porto de Pedras a Porto Calvo, no Litoral Norte de Alagoas, foi iniciada em 2008 e se arrasta desde então, uma vez que ainda não foi concluída, mesmo com R$ 36,5 milhões já liberados pelo MTur, em convênio firmado com a Prefeitura de Porto de Pedras, executora das primeiras etapas da obra de infraestrutura.

Ela ficou paralisada por cerca de dois anos e foi assumida em 2014 pelo governo do Estado, responsável pela pavimentação de 6,74 Km. O valor total do empreendimento foi de R$ 11.073.47,59.

O trecho entregue pelo governo do Estado em dezembro de 21014, porém, não possui sinalização e diversos segmentos apresentam-se inacabados.

“Entregaram essa pista e não findaram. A buraqueira é grande na cabeceira da ponte. Dá até medo de um acidente”, ponderou o motorista José Nazareno da Silva, 45 anos.

Morador de Porto da Rua, em São Miguel dos Milagres, ele utiliza a rodovia quase que diariamente e sabe muito bem a importância da obra, quando estiver pronta. “No inverno, por aqui não passava nem trator. Era muita lama. Agora está melhor e vai ficar melhor ainda, basta o governo terminar o que começou”, avaliou.

Governo do Estado entregou AL-460 inacabada, em Porto Calvo
Governo do Estado entregou AL-460 inacabada no trecho de Porto Calvo

Como as três primeiras etapas foram concluídas anteriormente, o asfalto desgastado já apresenta buracos em vários trechos. A sinalização também é precária. Os moradores da Fazenda Desterro, em Porto de Pedras, improvisaram placas para alertar sobre a presença de quebra-molas, recém-instalados naquele local.

Os redutores de velocidade foram reivindicados pelos moradores, preocupados com o risco de atropelamentos. Acidentes já fizeram duas vítimas ali, uma delas fatal. “Por um lado, a obra foi boa, mas ter uma pista na frente de casa é perigoso, principalmente onde se tem muita criança”, observou a agricultora Maria José do Nascimento.

DER

O diretor-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem de Alagoas (DER/AL), Helder Gazanneo, informou que as obras serão retomadas após a aprovação do orçamento do Estado. Ele informou que já esteve visitando os pontos para acompanhar o estágio de cada uma dessas obras para, assim, retomar os serviços em breve.

2 thoughts on “Rodovias são entregues inacabadas na região Norte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *