Nível do Jacuípe se eleva e deixa comunidades em alerta

Nível do Rio Jacuípe, no município de mesmo nome (Foto: Severino Carvalho)
Nível do Rio Jacuípe, no município de mesmo nome (Foto: Severino Carvalho)

O nível do Rio Jacuípe subiu com as chuvas que caem na região Norte de Alagoas e Mata Sul de Pernambuco desde o último domingo. As comunidades ribeirinhas e autoridades de sete municípios entre os dois Estados estão em alerta.

No município alagoano de Jacuípe, o rio de mesmo nome subiu 64 centímetros, conforme a marcação do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) em régua fixada sob a ponte entre Água Preta (PE) e Jacuípe.

Durante a noite, as águas chegaram a 66 centímetros de elevação, mas não houve transbordamento. O município de Jacuípe sofreu com quatro enchentes nos anos de 2010 e 2011, que deixaram centenas de famílias desabrigadas.

“Chove muito desde o domingo. Nessa madrugada também choveu bastante”, afirmou o pedreiro Clodoaldo Félix.

Pela manhã, nível chegou a 64 centímetros
Pela manhã, nível  do Jacuípe chegou a 64 centímetros, mas durante a madrugada atingiu 66 cm de elevação (Foto: Severino Carvalho)

O Rio Jacuípe é um rio federal; faz parte da bacia do grande Una. Ele nasce em Ibateguara (AL), passa por Colônia Leopoldina (AL), Campos Frios, em Xexéu (PE); banha Campestre, o distrito de Santa Terezinha, em Água Preta (PE); serpenteia Jacuípe (AL) e deságua no Rio Una, em Barreiros (PE).

No distrito de Santa Terezinha, o vento forte arrancou uma árvore. O registro fotográfico foi feito pelos Guardiões do Vale do Jacuípe, que reúne um grupo de jovens protagonistas.

Árvore foi arrancada pela força dos ventos no distrito de Santa Terezinha, em Água Preta (Foto: Guardiões do Vale do Jacuípe)
Árvore foi arrancada pela força dos ventos no distrito de Santa Terezinha, em Água Preta (Foto: Guardiões do Vale do Jacuípe)

Eles monitoram o nível do rio, denunciam as agressões ambientais e fazem alertas às comunidades ribeirinhas por meio da Rádio Comunitária Campestre FM e das redes sociais. O projeto conta com o apoio do Instituto Oi Futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *