Mãe é presa acusada de torturar filha de 3 anos

Valquíria alegou ao delegado que batia na filha porque ela lhe aperreava muito (Foto: PC)
Valquíria alegou ao delegado que batia na filha porque ela lhe aperreava muito (Foto: PC)

O delegado de Maragogi, Thiago Prado, autuou em flagrante, pelo crime de tortura, a dona de casa Valquíria Conceição da Silva, 22 anos. A mulher é acusada de agredir sistematicamente a filha dela de apenas três anos de idade. A prisão ocorreu na tarde de sexta-feira (25) no conjunto Deda Paes (Favela do Risca Faca), preferia de Maragogi. O delegado revelou que já investigava o caso, denunciado através do Disque 100 da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR). Na sexta-feira, o Ministério Público (MP) e o Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente acionaram mais uma vez a delegacia de Polícia Civil. “Ao chegarmos ao local, constatamos que as agressões vinham ocorrendo com frequência, em razão dos ferimentos encontrados na vítima: escoriações pelo pescoço, hematomas na face e ferimentos no couro cabeludo. As agressões ocorriam há pelo menos três meses e os vizinhos relataram que já não aguentavam mais vivenciar essa tortura”, contou o delegado. A mulher recebeu voz de prisão e foi conduzida à 8ª Delegacia Regional de Polícia Civil (8ª DRPC) em Matriz de Camaragibe, onde foi atuada em flagrante. “O fato causa perplexidade. As agressões eram intensas e já perduravam por muito tempo. Dessa forma, o crime passou de maus tratos – que é afiançável – para tortura, inafiançável e hediondo, com pena de 2 a 8 anos de reclusão”, explicou o delegado. A acusada alegou em seu depoimento que agia daquela forma porque a filha lhe “aperreava muito”. Ela encontra-se recolhida à carceragem da 8ª DRPC. O Conselho Tutelar, sob orientação do MP, passou a guarda provisória da criança a uma tia. Valquíria também é mãe de um menino, mas não foram constatadas agressões contra ele.

One thought on “Mãe é presa acusada de torturar filha de 3 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *