Fogo destrói Praça da Melhor Idade em Maragogi

Estrutura da Praça da Melhor Idade foi completamente destruída (Foto: Severino Carvalho)
Estrutura da Praça da Melhor Idade foi completamente destruída (Foto: Severino Carvalho)

Um incêndio destruiu, na tarde desta segunda-feira (23), a estrutura de madeira e sapé da Praça da Melhor Idade, na Avenida Senador Rui Palmeira, orla marítima de Maragogi, no Litoral Norte de Alagoas. Um veículo que estava estacionado nas proximidades sofreu danos. Ninguém se feriu.

De acordo com o tenente Oliveira, do 2º Grupamento de Bombeiros Militar (2º GBM), ainda não se pode apontar com precisão a causa do incêndio, mas, de acordo com informações repassadas por populares à guarnição, as chamas foram provocadas por fogos de artifício acionados nas imediações da “Praça dos Idosos”, como também é conhecido o logradouro.

No momento do incêndio, cerca de 50 excursionistas sergipanos se confraternizavam na praça. O grupo de profissionais liberais aguardava o retorno de um casal que fora às piscinas naturais, a 6 km da costa, onde o noivo faria o pedido de casamento. No retorno do passeio, todos festejariam as juras de amor com um grande churrasco.

A festa, entretanto, foi interrompida pelas chamas. “Foi muito rápido. Em cinco minutos, o sapé incendiou e tudo foi destruído”, contou o guia turístico Marcelo Buchweitz, que estava em um restaurante em frente à praça. Mesas, cadeiras e outros utensílios que estavam sob a cobertura de madeira e sapé foram destruídos pelo fogo.

A estudante sergipana Lídia Prado negou que o grupo de excursionistas tenha acionado fogos de artifício no local. “Não houve nada disso”, garantiu. O 2º GBM foi acionado e debelou as chamas, mas a estrutura de madeira e sapé já havia sido totalmente afetada. Os bombeiros realizaram o rescaldo e isolaram a área.

O veículo Fiat Uno, placa FLJ-8720/SP, alugado por um casal de turistas de Vitória (ES), sofreu avarias na parte lateral. Eles também estavam nas piscinas naturais e quando voltaram do passeio se depararam com o incêndio. Em decorrência da alta temperatura, partes de plástico e de borracha do automóvel derreteram; a pintura também foi afetada. “Vamos ter de pagar a franquia”, lamentou a turista Lícia Martins, já na delegacia, onde foi prestar queixa, junto com o marido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *