Comerciário que completaria 28 anos morre afogado

Comerciário morreu por afogamento no Rio Manguaba (Foto: arquivo pessoal)
Comerciário morreu por afogamento no Rio Manguaba (Foto: arquivo pessoal)

Nesta quinta-feira, o comerciário Willyan Jackson da Silva completaria 28 anos de idade, ao lado da esposa e da filhinha de cinco anos. Porte atlético, gozava de boa saúde e não dispensava uma partida de futebol com os amigos.

O consumo desmedido de bebida alcoólica, entretanto, o empurrou para a morte. Provavelmente embriagado, ele caiu de uma ponte de madeira e se afogou no Rio Manguaba. Foi sepultado no cemitério Santa Luzia, em Porto Calvo, região Norte do Estado, na tarde de quarta-feira (02).

Desaparecido desde a manhã do último domingo, o corpo dele só foi encontrado às 15 horas de terça-feira (01) a cerca de um quilômetro do local onde fora visto pela última vez. A esposa dele, Maria Vanessa da Silva, 28, contou que o marido largou da vidraçaria, onde trabalhava, ao meio-dia de sábado e saiu para beber com os amigos.

À noite, ele se divertiu em um forró e varou a madrugada numa farra em um posto de combustíveis à margem da AL-105. Pela manhã, já exaurido, procurou curar a ressaca no “Rio da Ilha”, um braço do Manguaba.

Um tio dele o aconselhou a ir para casa, descansar. O comerciário atendeu a recomendação, mas preferiu pegar um atalho. Segundo a esposa, Willyan Jackson passou por uma ponte improvisada de madeira, conhecida como pinguela. Ao tentar atravessar a segunda, caiu.

Equipes do Corpo de Bombeiros se engajaram nas buscas (Foto: Erick Balbino)
Equipes do Corpo de Bombeiros se engajaram nas buscas (Foto: Erick Balbino)

“Uma pessoa viu quando ele caiu da primeira pinguela, mas se levantou e continuou a andar. Mas, na segunda, caiu e não foi mais visto. Não sei o que aconteceu. Talvez tenha batido com a cabeça e se afogado”, relatou Vanessa.

Ela garantiu que o marido sabia nadar e que costumava pescar com os amigos. Os familiares acreditam, entretanto, que o estado de embriaguez alcoólica tenha favorecido o acidente que resultou em morte. Desde as 10 horas do último domingo que parentes e amigos realizavam buscas no Rio Manguaba. Militares do Corpo de Bombeiros, sediado em Maragogi, também se engajaram nas buscas, sem sucesso.

O corpo só foi encontrado às 15 horas da última terça-feira por dois pescadores. Ele boiava dentro do leito do rio, nas proximidades do Engenho Estaleiro. Segundo os familiares, a causa da morte atestada pelo Instituto Médico Legal (IML) de Maceió foi mesmo afogamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *