Casas do Programa da Reconstrução ainda não foram entregues

Com Gazeta de Alagoas

Sistema de esgotamento sanitário
Sistema de esgotamento sanitário ainda não foi concluído (Fotos: Severino Carvalho)

Contrata em dezembro de 2011 e iniciada em meados de 2012, a obra de construção do conjunto habitacional Maria de Lurdes Rufino, em Jundiá, a 115 km de Maceió, ainda não foi concluída. Embora as 150 residências estejam erguidas e em fase final de acabamento, a instalação dos sistemas elétrico, de abastecimento d’água e de esgotamento sanitário não foi finalizada. Enquanto isso, as famílias atingidas pela enchente de 2010 permanecem nas áreas de risco.

A obra é tocada pelo governo do Estado, através do Programa da Reconstrução, orçada em R$ 6,1 milhões. As casas são destinadas às famílias que perderam suas moradias na enchente de 2010 e já deveriam ter sido entregues no ano passado.

Na tarde de segunda-feira (10), apenas oito operários trabalhavam no conjunto. Eles aplicavam massa nas paredes das casas que receberão a pintura interna. Os pedreiros e pintores não quiseram conceder entrevista. Alegaram que o responsável pela obra estava em Maceió.

Sem as moradias, as famílias continuam nas áreas de risco. É o caso de dona Sônia Maria Lins, 35 anos, que morava com o esposo na casa da mãe dela, na Vargem (Conjunto Jaime Machado), onde várias residências foram destruídas pela enchente de 2010.

Há cerca de dois meses, ela foi morar no Conjunto João Rufino, à margem do Rio Manguaba. “Na casa de minha mãe estava muito apertado. Lá tinham três famílias com a gente. Decidimos sair e morar aqui na beira do rio. Moramos de favor porque o barraquinho não é nosso, é dos outros”, contou Sônia, que já passou por dois cadastros feitos pela prefeitura e nunca recebeu a casa prometida.

“Eu ainda tenho esperança. Quem sabe Deus não ajuda? Só acho que a entrega e o cadastro deveriam ser feitos pela Defesa Civil e não pela prefeitura. Falam que o prefeito só vai botar nas casas as pessoas dele”, criticou Sônia.

As casas estão erguidas e em fase final de acabamento
As casas estão erguidas e em fase final de acabamento

A Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra) informou, através de sua assessoria de imprensa, que as casas do residencial já estão em fase de conclusão, faltando apenas a ligação de água e a estação de tratamento de esgoto, em fase de teste. A previsão de entrega é em abril deste ano.

Para a Seinfra, as obras não estão atrasadas, visto que foram iniciadas em 2012. “Apesar da contratação imediata, as obras só começaram após a desapropriação, processo que demorou mais do que o previsto já que foi feito judicialmente”, observou a Secretaria.

A Seifra informa ainda que as casas do “Programa da Reconstrução” são financiadas pela Caixa Econômica Federal (CEF) através do “Minha Casa, Minha Vida”. Os imóveis possuem 41m² de área, contando com dois quartos, sala, cozinha, banheiro, varanda, área de serviço, com forro PVC. Três por cento das casas são adaptadas para deficientes físicos.

O prefeito de Jundiá, Carlos Antônio Moraes de Lima Filho (PMDB), o “Segundo”, esclareceu que o cadastro das famílias foi finalizado e entregue à CEF, seguindo critérios sociais de escolha. Segundo ele, não existe, em Jundiá, ameaças de invasão aos imóveis, como foi registrado em outros municípios onde aconteceram atrasos na entrega das moradias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *