Antigos postes são removidos da orla marítima de Maragogi

Poste com 18 metros de altura precisa ser partido ao meio para ser retirado (Fotos: Severino Carvalho)
Poste com 18 metros de altura precisa ser partido ao meio para ser retirado (Fotos: Severino Carvalho)

A prefeitura municipal de Maragogi iniciou, esta semana, a remoção de 14 postes da orla marítima da cidade, ao longo da Avenida Senador Rui Palmeira. Desgastados, eles estão sendo substituídos por novas estruturas galvanizadas, através do projeto de instalação do novo sistema de iluminação, que custou meio milhão de reais.

De acordo com o secretário municipal de Infraestrutura, Rildson Aquino, o “Sinho”, a operação de remoção dos postes será finalizada na próxima semana. Os novos já foram instalados e a obra deve ser concluída em 15 dias.

“A obra está praticamente pronta, restam apenas a remoção dos postes antigos, fazer algumas instalações e retoques”, afirmou o secretário municipal.

A remoção dos 14 postes está sendo feita pela empresa que executa o projeto de instalação do novo sistema de iluminação da orla. Dois caminhões do tipo Munck são empregados na operação para remover as estruturas. O trabalho é lento e requer muito cuidado, uma vez que a movimentação de veículos e de pessoas é grande na orla, durante a alta estação turística.

Operários utilizam caminhão tipo Munck para fazer remoção de postes (Fotos: Severino Carvalho)
Operários utilizam caminhão tipo Munck para fazer remoção de postes

Nove dos 14 postes que serão removidos possuem 18 metros de altura, feitos em concreto armado. Por conta do tamanho, precisam ser cortados ao meio e tirados em duas etapas. Todos serão substituídos por 40 novos postes galvanizados com cerca de 75 luminárias.

Requalificação

Paralelamente à instalação do novo sistema de iluminação, a prefeitura trabalha para concluir a obra de requalificação da orla marítima, que deve ficar pronta em 20 de dezembro, espera o secretário.

“Estamos fazendo os banheiros, instalando as pedras portuguesas, recompondo o piso das calçadas, fazendo as rampas de acessibilidade e montando os equipamentos para a prática de exercícios físicos”, acrescentou Sinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *